30/05/2022 às 11h12min - Atualizada em 30/05/2022 às 16h02min

C2R expande operação - agora também digital em mobiliário urbano para ônibus

Empresa criadora e detentora da patente do 1º MUB em ônibus do Brasil, promete revolução cooperada com digital

SALA DA NOTÍCIA RENATA NASCIMENTO
Bruna Guerra
Com a criação do 1º MUB em ônibus do Brasil, a C2R lança o piloto MUB Digital, que segue e complementa o formato do Estático, com cobertura e frequência de periodicidade semanal. “Estamos mudando forma de comprar ônibus, não enxergamos o ônibus de forma independente, para nós, o foco está na entrega de cobertura e frequência, com padronização dos formatos e baixo de produção. diz Rogério de Moraes, CEO da C2R.
Reforçamos a confiança nos ônibus, o meio de transporte que mais interliga e movimenta a Cidade, e que mais atende toda a população. Lançar o B-AIR Estático foi uma revolução para o mercado, são mais de 8 mil faces distribuídas em 11 garagens no município de São Paulo: reinventamos a padronização de forma orgânica no transporte, com cobertura completa, geoprocessamento e agilidade, tornando possível às empresas anunciarem com qualidade”, afirma Rogério. “A chegada do digital soma com a agilidade das ações, o incremento com serviços de conteúdos que não conseguíamos veicular no Estático”. Uma solução eficiente com a atratividade do movimento e métricas do Digital com o poder da Exclusividade e Sustentação do Estático, completa o executivo.

O principal objetivo da utilização do digital é a soma dos modelos e suas características, para atender uma demanda da população carente de inovação. E, ao mesmo tempo, entregar às marcas opções a mais de qualidade, com mídias mais direcionadas. “O estático é ideal para campanhas personalizadas, em zonas específicas – menos centrais e de grande poder de alcance. O digital, justamente por somar serviços e conteúdos, além de entretenimento, será focado em linhas de alta demanda, tem mais agilidade e propicia interações entre marcas e conteúdos”, reforça Rogério.
Dezenas de anunciantes já estão migrando para estas mídias em transporte coletivo. “Os ônibus são responsáveis pelo primeiro contato das marcas com os consumidores. São eles que abastecem economicamente as cidades, afirma o empresário. Ele conta que esta rede digital vai atender mais de cinco consórcios de ônibus na cidade de São Paulo, priorizando as linhas que servem corredores e que têm maior audiência, compondo assim uma estratégia de cobertura de alta demanda Digital e com segmentação no MUB Estático.
Pela experiência dos criadores, os painéis digitais serão ideais para grandes redes de articulados na cidade, enquanto os estáticos seguirão como foco nas linhas de bairro. “Isso porque os regionais tem um poder de persuasão segmentado e necessitam de alta audiência, o que com esse formato de entrega, torna mais eficaz a retenção da conexão entre marca e público alvo. Já os digitais acompanharão a tendência das redes mais centrais e de corredores (articulados), com interface de mídia + conteúdo e notícias, sempre trazendo ações de branding, marcas e serviço conectadas”, completa Rogério.

As operações-teste junto à SPTrans estão previstas papara 16 de maio, em um modelo único de ônibus, que circulará por 45 dias (entre 30 dias de teste e 15 de ajuste), nos grandes corredores da Capital paulista. A experiência será feita num veículo articulado – o maior do mercado – com a instalação de quatro telas de 24” polegadas, 100% integradas ao “sistema ônibus” e com aparência orgânica para os passageiros. Cada tela tem roteador e 4G próprios, que não interferem no wi-fi do veículo.

A operação em ônibus acontece por quatro a seis semanas em modo teste. Esse período é primordial para avaliação de sistemas, geolocalização, trepidações, coberturas dos sinais de sinais de internet na cidade e outros processos estruturais. “A partir desse momento, estaremos prontos para escalarmos na montagem da rede de cobertura. Estamos trabalhando juntos com a SPTrans (corrigir) há meses nesse processo. Todos os cuidados de segurança e distribuição dos equipamentos no ônibus, estão seguindo padrões de qualidades e exigências importantíssimas para o sucesso da plataforma”, completa Rogério.

Após este período de testes a C2R pretende desenvolver uma rede de cobertura de 300 ônibus com o modelo digital DOOH, que possibilitam a instalação de mais de 1.200 painéis digitais, somente em São Paulo, até o final de 2022, o que representa uma audiência média de 2,1 milhões pessoas impactadas por semana. A expectativa é chegar a uma rede de 1.000 ônibus em 2023, chegando 1,5 milhões de pessoas impactadas /dia.
A grade terá mais de 12 cotas semanais para venda, com a inclusão de notícias, entretenimento, serviços de utilidade pública. Com estas duas ferramentas de mídia, a C2R quer dar início a uma nova era para o transporte em São Paulo. “Nossa ideia sempre foi trazer padronização para a compra de mídia: temos muita cobertura, frequência e muita audiência que pode ser comparada, inclusive, a grandes canais de TV aberta”, explica o CEO da agência, que projeta investimentos na ordem de R$ 3,5 milhões nesta operação.
Em formato teste, 28 marcas aderiram ao projeto, entre elas Casas Bahia, TIM, O Boticario, Mondial, Natura, Habib’s, Catho, Unip, Sportify, Paramount, Grau Técnico, Unisa e Grupo Card. “Ficamos surpresos com a receptividade, e ainda mais empenhados em inovar, sempre, com ferramentas que integram a cidade e sua população. Pouco mais de um ano após o lançamento do B-Air estático, a versão digital soma recursos e visualizações, além de reforçar a confiança de imagem e compromisso na mídia Ônibus de São Paulo”, finaliza Rogério.

Vandalismo

Evitar o vandalismo urbano nas peças B-AIR, que sempre foi uma preocupação recorrente das marcas, segue também no digital. “Em mais de 20 meses de operação não temos um único painel vandalizado, o que mostra como idealizamos a mídia de forma orgânica. Estamos bastante otimistas que o mesmo vai ocorrer com o digital e que a população entenda cada uma das peças (estática ou digital) como um benefício que une serviços e entretenimento”, completa Rogério.


Sobre as mídias B-AIR e INOVAÇÃO

O conceito OOH – Out of Home – é um caminho sem volta. Com foco nos ônibus, que são um instrumento efetivo no desenvolvimento das cidades, a C2R patenteou o formato dos painéis B-AIR para o Brasil, Europa, Ásia e Estados Unidos. “É o ônibus como plataforma de mídia, integração com a cidade”, diz Rogério. “Nosso maior desafio é agregar o máximo de serviços operacionais em nossa grade, unindo conteúdo de entretenimento e informações de utilidade pública”.

Como um empresário que sempre se projetou “fora da caixinha”, ele garante: “Criamos um só padrão para veiculação de publicidade. A ideia foi oferecer o mesmo formato para todos os tipos multifacetados de veículos e carrocerias, para favorecer o contato do anunciante com seu público. Toda boa cobertura depende da padronização. Assim surgiu a B-AIR, painel customizado, único no mundo, para a exposição de mídia eficiente em qualquer veículo. Todos os painéis B-AIR são dupla-face e atingem 2,30 m de altura”, finaliza com entusiasmo, o executivo.

Marcas que já confiam na C2R e Cases



Importância da publicidade OOH

O setor de OOH no Brasil está em franco crescimento e é hoje o terceiro maior do País em termos de faturamento publicitário (apenas a TV e a Internet seguem à frente). Essa mídia tem tudo para crescer e por isso Rogerio está empenhado no desenvolvimento da tecnologia de geoprocessamento, que possibilitará o cruzamento de itinerários e linhas. Isso porque a C2R tem um departamento de inteligência dedicado, focado em aprimorar, a cada dia, as conexões mais assertivas entre marcas e seu público alvo dedicado.

Entre as várias estratégias da campanha, merece destaque o conceito de checking digital que possibilita ao cliente a leitura via QRCODE, o que oferece acompanhamento da veiculação em tempo real das marcas, com credibilidade total.

A mídia estática é de fundamental importância como porta de entrada do Digital, permitindo uma conexão direta entre o offline estático e via QR CODE, que complementa a comunicação do mundo físico ao digital. Estas ferramentas impactam de formas complementares: na visualização e volume de pessoas no físico e, a partir daí, o consumidor segue para o digital, via smartphone, onde a marca continua conversando com seu cliente de forma personalizada. São milhares de usuários de ônibus, que passam de 30 a 90 minutos em viagem por trajeto, o que pode dobrar a visualização por dia.  “Com o mundo digital cada vez mais presente, a mídia OOH pode se transformar numa plataforma para utilização de QR Code para compras online e acesso a market places”, acredita o CEO da C2R.
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Ab Noticias  News Publicidade 1200x90
Mande sua denuncia, vídeo, foto
Atendimento
Mande sua denuncia, vídeo, foto, pra registrar sua denuncia