29/05/2022 às 15h38min - Atualizada em 29/05/2022 às 15h38min

OMS confirma 257 casos de varíola dos macacos em 20 países fora da África

AB Notícias News
Correio
Shutterstock
A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou, neste domingo (29), que 257 casos de varíola dos macacos haviam sido confirmados, em 20 países fora da África, até o dia 26 de maio.
Outros 120 casos suspeitos estão sendo investigados. Nenhuma morte foi relatada. Até a semana passada, menos de 100 casos haviam sido confirmados pela organização.
"A situação está evoluindo rapidamente e a OMS espera que haja mais casos identificados à medida que a vigilância se expande em países não endêmicos, bem como em países conhecidos como endêmicos que não relataram casos recentemente", disse a entidade em comunicado.
A organização enfatizou que as ações imediatas devem se concentrar em fornecer informações precisas para as pessoas que podem correr mais risco de contrair a doença; impedir a disseminação entre os grupos em risco; e proteger os profissionais de saúde da linha de frente.
O Brasil não possui casos confirmados da doença até o momento. Na América do Sul, há relato de apenas um caso confirmado, na Argentina.
 
Bahia
Por conta da proximidade entre Argentina e Brasil, países da América do Sul que fazem fronteira, especialistas brasileiros estão atentos para uma possível chegada do vírus ao território nacional, embora nenhuma medida efetiva de contenção tenha sido tomada. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) constituiu uma Câmara Técnica Temporária, nomeada de CâmaraPox MCTI, para monitorar os registros e o avanço do vírus pelo mundo. Já o Ministério da Saúde (MS) acompanha o caso suspeito de um brasileiro que está na Alemanha.
Na Bahia, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) garantiu que não há casos suspeitos. Questionada sobre o monitoramento ou adoção de algum protocolo especial de monitoramento e prevenção, o órgão não respondeu. Mas deu orientações de como os baianos residentes ou viajantes para países com registros podem escapar do contágio:
"Devem evitar o contato com animais doentes (vivos ou mortos) que possam abrigar o vírus da varíola do macaco (roedores, marsupiais e primatas); abster-se de comer ou manusear caça selvagem; higienizar as mãos com água e sabão ou álcool em gel; evitar a exposição ao vírus e evitar contato com pessoas infectadas; além de não usar objetos de pessoas contaminadas e com lesões na pele", respondeu a Sesab, em nota.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Ab Noticias  News Publicidade 1200x90
Mande sua denuncia, vídeo, foto
Atendimento
Mande sua denuncia, vídeo, foto, pra registrar sua denuncia