28/05/2022 às 14h19min - Atualizada em 28/05/2022 às 14h19min

Inteligência dos EUA avalia se Coreia do Norte testou míssil nunca visto antes

AB Notícias News
CNN
REUTERS/Edgar Su
A comunidade de inteligência dos EUA está tentando determinar se a Coreia do Norte testou um míssil balístico no início desta semana com características nunca vistas antes.
O lançamento de três mísseis balísticos pela Coreia do Norte na quarta-feira incluiu um que voou em uma trajetória incomum, segundo as autoridades. O míssil tinha uma trajetória de voo que dois oficiais descreveram como um “arco duplo”, com o míssil subindo e descendo duas vezes.
A trajetória pode indicar que o objetivo era testar a capacidade da Coreia do Norte de disparar um míssil e fazê-lo reentrar na atmosfera da Terra para atingir um alvo.
A segunda fase do possível “arco duplo” do míssil pode ter sido um veículo se separando do míssil principal. Ainda não está totalmente claro para os EUA se tudo isso fazia parte da rota de voo planejada, disse um funcionário.
A avaliação da inteligência norte-americana de todos os três lançamentos de teste ainda está nos estágios preliminares, enfatizaram os funcionários.
“Os Estados Unidos, a República da Coreia e o Japão expressam profunda preocupação com os lançamentos em 25 de maio de um míssil balístico intercontinental e mísseis balísticos de curto alcance”, diz um comunicado conjunto do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, do ministro das Relações Exteriores da Coreia do Sul, Park Jin, e do ministro das Relações Exteriores do Japão, Yoshimasa Hayashi.
“A Coreia do Norte aumentou significativamente o ritmo e a escala de seus lançamentos de mísseis balísticos desde setembro de 2021. Cada um desses lançamentos violou várias resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e representou uma grave ameaça para a região e a comunidade internacional”, acrescentou o comunicado.
 
Testes
Os testes norte-coreanos ocorreram após a viagem do presidente dos EUA, Joe Biden, à região, que incluiu uma parada na Coreia do Sul. Não está claro qual dos três mísseis lançados teve o padrão de voo incomum.
O Japão também havia insinuado publicamente que um dos mísseis voou de maneira incomum, com o ministro da Defesa do Japão, Nobuo Kishi, chamando-o de “trajetória irregular”.
A Coreia do Sul disse que um suposto ICBM foi disparado por volta das 6h, horário local, na quarta-feira, com um alcance de voo de cerca de 360 ​​quilômetros e altitude de aproximadamente 540 quilômetros.
Por volta das 6h37, horário local, a Coreia do Norte disparou um segundo míssil balístico — que não se acredita ser um ICBM — e parece ter desaparecido do rastreamento sul-coreano a uma altitude de 20 quilômetros, disse a Coreia do Sul. Uma avaliação preliminar indicou que é possível que o míssil sobrevoasse uma área povoada da Coreia do Norte.
O terceiro míssil, presumivelmente um míssil balístico de curto alcance (SRBM), voou cerca de 760 quilômetros e tinha uma altitude de 60 quilômetros, disse o Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul.
A embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, confirmou que um míssil tinha alcance intercontinental em um comunicado: “O lançamento de três mísseis balísticos da Coreia do Norte em 25 de maio incluiu mais um lançamento de ICBM. Os Estados Unidos avaliam que este é o sexto lançamento de ICBM pelos norte-coreanos desde o início de 2022.”
Ela alertou que o regime lançou 23 mísseis balísticos desde o início do ano e “está se preparando ativamente para realizar um teste nuclear”.
O trio de lançamentos, que ocorreu no período de uma hora, foi realizado em meio a preocupações de que a Coreia do Norte esteja se preparando para seu primeiro teste nuclear subterrâneo desde 2017.
A Coreia do Sul detectou na quarta-feira sinais de que o país vizinho estava testando um dispositivo de detonação para um teste nuclear, o que pode ser um precursor de um teste real, segundo uma autoridade.
Após os lançamentos, o secretário de Defesa Lloyd Austin realizou uma ligação segura com o ministro da Defesa sul-coreano Lee Jong-sup “para discutir avaliações e medidas de resposta para os recentes lançamentos de mísseis balísticos da República Popular Democrática da Coreia (RPDC)”, de acordo com um comunicado do Pentágono.
Os últimos lançamentos marcam a 16ª vez que a Coreia do Norte testou seus mísseis este ano, incluindo o que os EUA acreditam ter sido um teste de ICBM fracassado em 4 de maio que explodiu logo após o lançamento.
Mas acredita-se que a Coreia do Norte tenha testado um ICBM no final de março. Esse míssil voou a uma altitude de 6.000 quilômetros e uma distância de 1.080 quilômetros com um tempo de voo de 71 minutos antes de cair nas águas da costa oeste do Japão, de acordo com o Ministério da Defesa do Japão.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »