23/07/2018 às 10h15min - Atualizada em 23/07/2018 às 10h15min

Site especializado tem 85 mil bolsas para ingressar no nível superior no segundo semestre

Ana Clara Veloso e Marcela Sorosini

Agência O Globo -
Agência O Globo -

Quem busca uma maneira de cursar o ensino superior sem prejudicar tanto o bolso pode contar com a ajuda de sites especializados. Parceiros de instituições privadas, eles conseguem descontos de até 80% nas mensalidades para os alunos. O Quero Bolsa, por exemplo, tem disponíveis para início no segundo semestre (e válidas até o fim do curso) 85 mil bolsas de graduação e pós em 80 instituições de ensino no estado. As inscrições começam amanhã e é bom agir logo, pois os melhores descontos são reservados rapidamente.

Desde 2012, a empresa já matriculou mais de 43 mil estudantes no estado do Rio.

— Foi uma construção a longo prazo. Mostramos para as faculdades que vale a pena, pois elas funcionam como aviões. Se decolarem com metade dos assentos vazios, não conseguirão, já no ar, colocar mais ninguém. O número de alunos em salas de aula de um curso de graduação também não crescem no segundo e no terceiro ano, em geral — compara o diretor de relações institucionais do Quero Bolsa, Marcelo Lima: — Hoje, a ociosidade está em 52% nas universidades. Então elas abrem mão de parte da receita e a gente passa o desconto diretamente para o aluno. Só a primeira mensalidade (que, dependendo do caso, pode ser integral ou não), a faculdade abre mão para a gente.

A jovem Paula Beatriz Torres Berchioli, de 21 anos, cursa Fonoaudiologia, na Universidade Veiga de Almeida (UVA) desde 2017. Primeira de sua família a fazer faculdade, ela lidou por dois anos com a frustração de não conseguir ingressar no ensino superior. Com o orçamento apertado e devido a problemas de saúde da mãe, só conseguiu concretizar seu sonho quando, ao navegar pela internet, conheceu o trabalho do Quero Bolsa e conseguiu um bom abatimento na faculdade. Mesmo assim, as mensalidades já foram pagas por ela e sua mãe, que são profissionais da área de beleza, e até pela madrinha.

— Meu desconto é de 50% e eu sei que não teria condições de cursar com o valor integral ou um desconto menor que este — avalia Paula.

Quero bolsa - Para obter a bolsa de estudo, o interessado primeiramente precisa procurar o curso de interesse no site www.querobolsa.com.br. Quando a opção agradar, deve efetuar a inscrição na plataforma e, em seguida, pagar a pré-matrícula para garantir o benefício. Não há necessidade de comprovação de renda ou ter realizado o Enem. Após a conclusão do processo, basta comparecer à instituição de ensino escolhida para finalizar a matrícula. Também ão há cobrança de taxa para renovação da bolsa durante o curso).

Alarme - Através do aplicativo do Quero Bolsa, disponível nos sistemas Android e iOS, os candidatos são notificados quando surgem novas bolsas no curso e cidade de interesse.

Educa Mais Brasil - Há bolsas parciais de até 70% de desconto para graduação, pós-graduação, educação básica, cursos técnicos, idiomas, preparatório para concursos, cursos profissionalizantes, Educação para Jovens e Adultos e pré-vestibular. Mas há um recorte socioeconômico. A seleção para as bolsas é feita a partir das informações que o candidato disponibiliza no ato da inscrição, em que ele deve informar a condição socioeconômica, não havendo necessidade de enviar documento e comprovar renda ao programa. A taxa de matrícula, que equivale a adesão ao Educa Mais Brasil, é no valor integral. O desconto das demais mensalidades é válido até o final do curso, mas é preciso manter-se em dia com os pagamentos das mensalidades e não perder nas disciplinas para ter a bolsa renovada. Saiba mais no site www.educamaisbrasil.com.br.

Neora - O site (www.neora.com.br) oferece descontos de até 70% para cursos de graduação, pós-graduação e idiomas. As bolsas, duram, na maioria dos casos, todo o tempo da graduação. Segundo a empresa, existem poucos casos em que há alteração da porcentagem – mas está tudo descrito nos detalhes da página do curso. Escolhida a bolsa, é preciso pagar um Cupom Neora, que funciona como uma pré-matrícula para garantir a vaga, mas o preço não foi informado.

Alunos de universidades privadas nem sempre sabem como resolver problemas com as instituições. Mas podem recorrer a órgãos de defesa do consumidor em casos de dúvidas ou queixas. No Procon Estadual, a maior parte dos problemas citados pelos universitários do Rio diz respeito a cobranças por emissão da primeira via de documentos e questões relacionadas ao Fies, como dificuldades na renovação de matrículas e exigências de que os alunos cursem uma matéria duas vezes.

Na Fundação Procon-SP, cobranças indevidas e má prestação de serviços — como sites que não funcionam para consulta de notas, falta de precisão nas informações prestadas e salas lotadas — também são alvos de reclamações dos estudantes.

— Há casos até de pessoas que recebem cobranças de universidades em que sequer fizeram a matrícula. O conselho mais importante é ficar atento ao contrato, observando todas as regras que este estabelece, inclusive o período de tempo no qual será renovado — recomendou a coordenadora do Procon-SP, Marcele Soares.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »