13/01/2022 às 13h59min - Atualizada em 13/01/2022 às 13h59min

Djokovic lamenta erros no pedido de visto para entrar na Austrália

Ainda há dúvida sobre participação do sérvio no 1º Grand Slam do ano

AB NOTICIAS NEWS
Agência Brasil
Reuters/Paul Childs/Direitos reservados

O tenista número 1 do mundo e contrário à vacina, Novak Djokovic, disse nesta quarta-feira (12) que um “erro humano” seria o responsável por um engano em seus documentos de entrada na Austrália e pediu desculpas por quebrar o isolamento quando teve o novo coronavírus (covid-19), no mês passado, para uma sessão de fotos.

O sérvio de 34 anos busca um recorde na campanha pelo 21º título de Grand Slam no Aberto da Austrália, que começa na próxima segunda-feira (17), mas pode ser deportado pelo governo, que está descontente com sua dispensa médica da imunização contra o coronavírus.

Sem estar vacinado, Djokovic foi detido junto a requerentes de asilo em um hotel de detenção para imigrantes em Melbourne por vários dias antes que um juiz reverter a decisão, afirmando que o cancelamento “não é razoável”, além de ordenar a liberdade de Djoko.

Apesar de agora treinar para o torneio em Melbourne Park, Djokovic ainda pode ter seu visto cancelado novamente caso o ministro da Imigração da Austrália, Alex Hawke, decida exercer seu poder discricionário.

A entrada de Djokovic na Austrália foi dificultada por um erro em sua declaração de viagem, onde estava marcada a opção “não” na caixa de resposta relativa à pergunta sobre se ele havia viajado para qualquer lugar nas duas semanas que antecederam sua chegada.

Na verdade, ele tinha ido da Sérvia para a Espanha.

“Isso foi enviado pela minha equipe de apoio, em meu nome, como disse aos funcionários da imigração na minha chegada, e meu agente pede sinceras desculpas pelo erro administrativo”, disse Djokovic em postagem no Instagram.

“Esse foi um erro humano, e certamente não foi deliberado. Estamos vivendo em tempos desafiadores, em uma pandemia global, e às vezes esses enganos podem acontecer”, afirmou.

Fornecer informações erradas no formulário acarreta uma pena máxima de 12 meses na prisão mais multa, e pode levar ao cancelamento do visto do infrator.

Djokovic também se arrependeu de conceder uma entrevista e fazer uma sessão de fotos para o jornal francês L'Equipe em 18 de dezembro, enquanto estava infectado com covid-19 pela segunda vez.

“Eu não queria decepcionar o jornalista, mas assegurei-me de praticar o distanciamento social e usar uma máscara, exceto quando minha fotografia estava sendo tirada”, declarou.

“Enquanto voltava para casa após a entrevista para me isolar pelo período necessário, ao refletir, isso foi um erro de julgamento e aceito que deveria ter remarcado esse compromisso”, disse.

O visto de Djokovic foi inicialmente cancelado, pois o atleta não foi vacinado, e seu pedido de dispensa médica [fundamentado no fato de que ele contraiu covid-19 no mês anterior] não foi considerado satisfatório.

A Austrália tem uma política de impedir a entrada de não cidadãos e não moradores no país a não ser que estejam totalmente vacinados contra a covid-19, apesar de oferecer exceções e dispensas médicas.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »