24/11/2021 às 08h31min - Atualizada em 24/11/2021 às 08h31min

Caso de intolerância religiosa na Semge está sendo apurado, garante Bruno Reis

"Se precisarmos punir, vamos fazer de forma exemplar”, disse o prefeito

AB Notícias News
IG
Reprodução

Após uma denúncia de intolerância religiosa feita por uma funcionária terceirizada que presta serviço há mais de 10 anos na Secretaria de Gestão Municipal de Salvador (Semge), o prefeito Bruno Reis (DEM) garantiu que a situação já está sendo apurada e, caso a ofensa seja confirmada, o servidor irá “responder pelas consequências dos seus atos”. A declaração foi dada em coletiva de imprensa na noite desta terça-feira (23), durante a inauguração da decoração natalina no Campo Grande.

A realidade de humilhação, constrangimento e até ameaça vivida por Silvana da Paixão, 41 anos, em função de sua religião, ganhou repercussão nesta segunda (22). Há pouco mais de dois meses, ela foi iniciada no Candomblé e, para cumprir obrigações religiosas relacionadas ao rito solene, passou a usar vestes brancas, fato que motivou as agressões por parte de um colegas de trabalho.

De acordo com o prefeito, o servidor acusado das agressões é concursado, e já foi identificado. “Conversei com o secretário Thiago Dantas [secretário]. Foi feita uma denúncia e está sendo apurada. Nós não admitimos. A Prefeitura não aceita, não admite e, se precisarmos punir, vamos fazer de forma exemplar”.

Na última sexta-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra, a capital baiana regulamentou o Estatuto da Igualdade Racial e de Combate à Intolerância Religiosa.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »