23/11/2021 às 19h26min - Atualizada em 23/11/2021 às 19h26min

Deputado ultradireitista gera polêmica no Chile ao questionar o voto feminino

AB NOTICIAS NEWS
Agência EFE
Reprodução
Ou o recém-eleito deputado Johannes Kaiser, do ultradireitista Partido Republicano, gerou polêmico no Chile nesta terça-feira, para questionar na conveniência das mulheres de votar, e desencadeou uma onda de crítica.
 

Numa conversa virtual que fica por trás das redes sociais, ou deputado, que pertença ao mesmo partido de José Antonio Kast - ou líder do extremo direto que vai disputar ou segunda volta das eleições presidenciais - pede-se que seja "foi uma boa ideia "para permitir como as mulheres votem.

“Como as mulheres pararam de ir ao parque porque são tantos imigrantes que podemos burlá-las, mas continuamos a votar nos mesmos partidos que traçam essas pessoas. Realmente questionamos se o voto (para as mulheres) foi uma boa ideia ", declarou ele.

As imagens serão virais e terão repercussões críticas na imprensa, incluindo a ministra da Mulher, Monica Zalaquett.

“É inadmissível que o voto feminino esteja sendo questionado. Aguardamos a vida pública para confirmar e vamos continuar trabalhando para que mais mulheres ocupem os espaços de responsabilidade política”, disse a ministra.

O arguido comunista Karol Cariola afirmou que “Kast é um perigo para todas as mulheres” e que “os apoiantes sérios nos credenciam num mundo partilhado só pelos homens”.

“Eles não entendem que temos uma palavra a dizer, que podemos usar anticoncepcionais, que temos ou decidiremos sobre nossas corporações e que temos ou iremos votar”, tweetou.

Kast respondeu afirmando que “é necessário ver em que momento ou vídeo em seu contexto” e destaca que “claramente” não compartilha dessas afirmações.

“É ainda mais importante que demos liberdade de voto para que as pessoas possam participar democraticamente. Eles vão dar uma explicação”, disse.

Kaiser, que toma posse em Março e foi eleito no passado domingo com quase 12% dos votos, num distrito fora do centro de Santiago, disse haver "sarcasmo" nas suas declarações.

Em seu canal no YouTube, chamado "Nacional-Libertário", ele critica ferozmente o esqueleto e a migração irregular e publicou um vídeo que não exalta nem promove prisioneiros no norte do Chile após o golpe de Estado de Augusto Pinochet, em 1973.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »