10/07/2018 às 11h40min - Atualizada em 10/07/2018 às 11h40min

Fechamento da Toys ‘R’ Us afeta não só crianças, mas o mercado imobiliário

Aumenta participação de imóveis comerciais vagos no mercado

Agência O Globo -
Agência O Globo -
Eric Gay / AP

WASHINGTON - Após mais de 70 anos de existência, a última das 735 lojas da icônica rede de brinquedos Toys ‘R’ Us fechou suas portas na semana passada. Mas não são só as crianças, ou adultos saudosos, que vêm sentindo falta: os proprietários de imóveis comerciais também.

Um levantamento mostra que o espaço de imóveis do varejo ocupado em 77 regiões metropolitanas dos Estados Unidos caiu em 350 mil metros quadrados no segundo trimestre, a maior queda desde 2009. Lojas que antes eram ocupadas pela empresa, que pediu concordata, ajudaram a levar a chamada taxa de vacância (relação ente os imóveis desocupados e o total) para 10,2%, acima dos 10% do primeiro trimestre e o maior nível desde 2014.

— O fechamento das lojas da Toys ‘R’ Us teve mais impacto nas estatísticas do segundo trimestre que qualquer outro varejista em qualquer trimestre dos últimos nove anos — afirmou um dos autores do estudo, que levantou os dados de mais de 80 unidades da Toys ‘R’ Us.

Apesar de todos os problemas, a Toys “R” Us, que fechou todas as lojas dos EUA porque não conseguiu se recuperar da falência, continuava sendo uma potência durante a época do Natal. No ano passado, a Toys "R" Us gerou US$ 6,5 bilhões em vendas nos EUA .


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »