18/10/2021 às 18h53min - Atualizada em 18/10/2021 às 18h53min

EUA criticam Maduro por romper diálogo com oposição após extradição de Saab

AB NOTICIAS NEWS
Agência EFE
Reprodução
O Departamento de Estado dos EUA criticou nesta segunda-feira o governo da Venezuela por interromper o diálogo com a oposição no México e colocar o caso do empresário colombiano Álex Saab "acima do bem-estar dos milhões de venezuelanos".


O porta-voz da pasta, Ned Price, expôs a crítica ao comentar sobre a decisão da Venezuela de interromper os contatos com a oposição depois da extradição de Saab, suposto testa de ferro do presidente, Nicolás Maduro, que estava detido em Cabo Verde e foi enviado aos EUA.

"Com a suspensão das conversas, o regime de Maduro colocou o caso de um indivíduo acima do bem-estar de milhões de venezuelanos que deixaram clara a busca por democracia, maior liberdade e prosperidade", disse Price.

Saab participou nesta segunda-feira de sua primeira audiência em um tribunal da Florida, onde responde a sete acusações de lavagem de dinheiro e uma de conspiração para cometer o crime.

Price acrescentou que "é geralmente difícil para os governos autocráticos e repressivos" compreender que as agências de aplicação da lei nos EUA operam "independentemente de questões políticas".

"As acusações criminais contra Álex Saab vão muito mais longe e não têm nada a ver com negociações políticas", analisou.

Maduro declarou que "os Estados Unidos sabiam que ao sequestrar Álex Saab, membro da comissão de diálogo no México, estavam dando um golpe mortal nos diálogos e negociações" e criticou Washington por "não querer diálogo, não querer paz para a Venezuela".

A quarta rodada das conversas entre o governo e a oposição da Venezuela deveria ter início no domingo passado na Cidade do México. O empresário colombiano foi detido em 12 de junho de 2020 em Cabo Verde devido a um mandado de captura emitido através da Interpol pelos EUA e foi extraditado no sábado.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »