14/10/2021 às 12h48min - Atualizada em 14/10/2021 às 13h20min

Como ter mais qualidade de vida e cuidar bem das próteses dentárias

Farmacêutica do Laboratório Teuto dá dicas de cuidados essenciais para melhorar o bem-estar de quem usa dentaduras

DINO


A saúde bucal dos brasileiros está evoluindo, mas ainda encontra-se longe dos índices considerados desejáveis pelas principais organizações internacionais de saúde, principalmente entre adultos e idosos. Para se ter uma ideia, a perda de dentes é o segundo fator que mais prejudica a qualidade de vida de pessoas entre 45 e 70 anos.

O estudo de Percepções Latino-americanas sobre Perda de Dentes e Autoconfiança, divulgado pela Edelman Insights em 2018, destacou ainda que, para 32% dos entrevistados, a perda de dentes os impede de ter um estilo de vida saudável e ativo. Ainda de acordo com a pesquisa, no Brasil, 39 milhões de pessoas usam próteses dentárias, sendo que uma em cada cinco delas tem entre 25 e 44 anos. Além disso, 16 milhões de brasileiros vivem sem nenhum dente e 41,5% das pessoas com mais de 60 anos já perderam todos.

Além de afetar a qualidade de vida, a perda de dentes também age diretamente na autoestima e nas relações sociais. Para a farmacêutica e supervisora de treinamento do Laboratório Teuto, Magali Tamas, a saúde bucal é fundamental para o bem-estar físico e mental, pois, um belo sorriso traz confiança e melhora a autoestima. "Além disso, cáries e pequenos ferimentos na boca podem servir de porta de entrada para bactérias, que uma vez na corrente sanguínea, podem causar infecções graves, inclusive no coração ou generalizadas", pontua.

Magali reforça ainda que o uso de dentaduras ou próteses dentárias tem a função de devolver a estética, a fonética e a funcionalidade perdida com a falta dos dentes naturais. Para que isso ocorra de forma satisfatória e segura são recomendados alguns cuidados como a limpeza diária da prótese e o uso de fixadores como o Segurdent.

"Muito além da fixação em si, este produto é uma solução que proporciona confiança e conforto ao usuário, pois evita que a dentadura se mova e cause ruídos durante a fala ou a mastigação. Além disso, por promover uma vedação eficiente, ele evita que partículas de alimentos entrem nos espaços entre a gengiva e a dentadura prevenindo o mau hálito e o aparecimento de ferimentos, que além de incômodos, podem colocar a saúde em risco", alerta a profissional.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »