14/10/2021 às 10h03min - Atualizada em 14/10/2021 às 10h03min

Avanço da terapia-alvo favorece tratamento do câncer de mama

Outubro Rosa reforça importância do diagnóstico precoce, que pode elevar as chances de cura para além de 95%

AB NOTICIAS NEWS
Tribuna da Bahia
Divulgação

Se por um lado as estimativas apontam para 66.280 novos registros de câncer de mama no Brasil em 2021 (Inca), com mais de 18 mil mortes, avanços no tratamento – incluindo a terapia-alvo – fazem o contraponto. No entanto, apesar das novas terapias, drogas e também técnicas cirúrgicas, a campanha Outubro Rosa mantém como consenso a importância do diagnóstico precoce, aliado que pode elevar para mais de 95% as chances de cura. Vale ressaltar que a pandemia pode ter retardado 42% dos diagnósticos, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM).

A partir dos 40 anos, todas as mulheres devem realizar a mamografia anualmente e manter acompanhamento com mastologista. Essa idade pode ser antecipada em pacientes com histórico pessoal ou familiar de câncer de mama, como sinaliza o mastologista Ezio Novais, um dos coordenadores do Serviço de Mastologia da Clínica AMO. “Além do suporte médico especializado, exames e hábitos de vida saudáveis, incluindo alimentação, prática regular de exercícios físicos, redução do uso de bebidas alcoólicas e combate ao fumo, contribuem para a prevenção do câncer”, enumera.

Ezio Novais chama a atenção para a importância da manutenção do acompanhamento médico, através das consultas de rotina, mesmo durante a pandemia de Covid-19, que retardou diagnósticos. A quantidade mamografias realizadas pelo SUS em 2020 foi de 1,1 milhão; enquanto em 2019 foi de 1,9 milhão. A queda equivale a uma redução de 42% nos procedimentos feitos nas mulheres desta faixa etária, segundo levantamento da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM).

Do total de casos estimados para o Brasil em 2021, a Bahia deverá responder por 3.460 registros, sendo 1.180 em Salvador.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »