13/10/2021 às 13h17min - Atualizada em 14/10/2021 às 00h02min

A tecnologia e o tradutor do século XXI

*Thereza Cristina de Souza Lima

SALA DA NOTÍCIA Danieli Crevelaro
No dia 30 de setembro comemora-se o Dia do Tradutor. Esse dia foi escolhido porque séculos atrás, mais exatamente por volta de 420 depois de Cristo, falecia São Jerônimo, reconhecido mundialmente como o padroeiro dos tradutores. Se consideramos tal data, 420, podemos perceber que a tradução em si e a profissão de tradutor nos remetem a uma época muito antiga, de grande influência religiosa, haja vista o fato de São Jerônimo ter sofrido grandes perseguições por ter “ousado” traduzir a Bíblia para o Latim, considerando “sentido por sentido” e não “palavra por palavra”. É importante observar a invisibilidade do tradutor na época, cujo trabalho assemelhava-se ao de um robô que traduzia exatamente cada palavra do texto, mesmo que o resultado tradutório fosse totalmente sem coerência, ou seja, sem sentido.

Certamente, não vivemos mais em uma época semelhante àquela. O mundo se modificou, assim como a tradução e o papel do tradutor, que sofreram mudanças enormes desde o tempo de São Jerônimo. Hoje, chega-se até mesmo ao questionamento se não estaria tal profissão fadada a se tornar inexistente.

Pois bem, acredito que essa suposição nunca se efetivará e poderia justificar minha opinião por vários fatores. Contudo, meu argumento aqui atém-se ao fato de que o tradutor do século XXI se faz presente e, consequentemente, visível em toda tradução que realiza, podendo ser considerado coautor do texto, uma vez que toda tradução é fruto de sua interpretação. Assim como São Jerônimo, não se traduz “palavra por palavra”, mas, sim, “sentido por sentido”, o que só é possível por meio da interpretação humana.

Podemos, então, questionar: e onde entra a tecnologia? A tecnologia, por sua vez, contribui muito e possibilita pesquisas lexicais que até pouco tempo eram difíceis, ou mesmo quase impossíveis de serem realizadas, mas é a interpretação do tradutor que dá sentido ao texto. Uma prova disso é que nas grandes discussões políticas atuais, os dirigentes que se comunicam por línguas diferentes levam consigo um tradutor ou uma tradutora e não um laptop ou um tablet para fazer a tradução. Portanto, a tecnologia é extremamente útil em inúmeras áreas, incluindo-se aí o campo da tradução, mas não substitui, em todos os âmbitos e situações, a presença do tradutor.    

Vamos, então, prestar nossas homenagens a esse profissional que possibilita a comunicação entre diferentes povos, por meio do qual a ciência mundial interage e que merece, realmente, toda admiração e respeito.  

*Prof.ª Dr.ª Thereza Cristina de Souza Lima - 
Centro Universitário Internacional UNINTER 

             
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »