28/08/2021 às 10h36min - Atualizada em 28/08/2021 às 10h36min

Bahia é o 4º estado mais populoso do país

A Bahia é o quarto estado mais populoso do país, com 14.985.284 milhões de habitantes

AB NOTICIAS NEWS
TRIBUNA DA BAHIA
Romildo de Jesus

O IBGE divulgou ontem, (27), as estimativas das populações residentes nos 5.570 municípios brasileiros. Em 1º de julho de 2021, a população do Brasil chegou a 213,3 milhões de habitantes. A Bahia, quarto estado mais populoso do país, continua também como o de maior população no Nordeste com 14.985.284 habitantes e Salvador com população estimada de 2.900.319 é o quarto município mais populoso do Brasil.

Em primeiro lugar está o município de São Paulo, com 12,4 milhões de habitantes, seguido pelo Rio de Janeiro (6,8 milhões), Brasília (3,1 milhões) e a capital baiana em quarto lugar. A população das 27 capitais mais o Distrito Federal supera os 50 milhões de habitantes, representando 23,87% da população total do país.

A Bahia é o quarto estado mais populoso do país, com 14.985.284 milhões de habitantes. Em 2020, a população baiana era de 14.930.634 milhões de pessoas, o que registrou um aumento de 54.650 mil. O Nordeste tem atualmente 57,6 milhões de habitantes, sendo a Bahia o estado mais populoso da região, seguido por Pernambuco 9,4 milhões de pessoas e Ceará 9,2 milhões.

São Paulo segue liderando com a maior população do Brasil, são 46,6 milhões concentrando 21,9%, em seguida estão Minas Gerais (21,4 milhões de habitantes) e Rio de Janeiro (17,5 milhões de habitantes). Os cinco estados menos populosos, somam cerca de 5,8 milhões de pessoas, estão na Região Norte: Roraima, Amapá, Acre, Tocantins e Rondônia.

Apenas 49 municípios do país com mais de 500 mil habitantes concentram aproximadamente 1/3 da população brasileira (31,9% da população do país ou 68 milhões de habitantes). Por outro lado, 3770 municípios (67,7%) que possuem menos de 20 mil habitantes, concentram 31,6 milhões de habitantes, o que corresponde a apenas 14,8% da população.

As estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União para o cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos. Esta divulgação anual obedece ao artigo 102 da Lei nº 8.443/1992 e à Lei complementar nº 143/2013.

Os efeitos da pandemia da Covid-19 no efetivo populacional não foram incorporados nesta projeção, devido à ausência de novos dados de migração, além da necessidade de consolidação dos dados de mortalidade e fecundidade, fundamentais para se compreender a dinâmica demográfica como um todo. O Censo Demográfico 2022 trará não somente uma atualização dos contingentes populacionais, como também subsidiará as futuras projeções populacionais, fundamentais para compreender as implicações da pandemia sobre a população em curto, médio e longo prazo. As estimativas municipais são resultantes de parâmetros determinados, cuja fonte principal é o Censo Demográfico.

 “A pandemia da Covid-19, por exemplo, certamente tem implicações na população. Dados preliminares dos cartórios de registro civil e do Ministério da Saúde apontam para um excesso de mortes e uma diminuição dos nascimentos além do esperado. Contudo, como a pandemia ainda está em curso e devido à ausência de novos dados a respeito da migração, que, juntamente com a mortalidade e fecundidade, constituem as componentes da dinâmica demográfica, não foram revistas as Projeções da População para os estados e Distrito Federal”, diz a supervisora de disseminação de informações do IBGE na Bahia, Mariana Viveiros.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »