27/08/2021 às 15h56min - Atualizada em 27/08/2021 às 18h20min

Conheça 6 bloqueios que lhe impedem de falar inglês fluentemente

*Por Márcio Cafezeiro

SALA DA NOTÍCIA Uapê Comunicação

Muitas pessoas passam anos em uma escola de inglês ou até mesmo convivem diariamente com a língua – assistindo a filmes e ouvindo músicas, por exemplo – mas, ainda assim, têm um bloqueio na hora de falar usando o idioma. São diferentes barreiras que fazem com que isso aconteça e você precisa identificá-las, para não deixar que isso atrapalhe seu progresso.

Neste artigo, vou lhe mostrar o que pode estar te impedindo de falar o inglês fluente. E isso não implica em falar o inglês perfeitamente ou da maneira que os nativos da língua falam. Isso quer dizer que você será compreendido em qualquer lugar do mundo, já que a comunicação é o que realmente importam. Conheça esses bloqueios:

  1. Medo do julgamento alheio

Muitas pessoas se limitam e evitam falar inglês porque ficam com medo do que os outros vão pensar ou dizer. Tudo isso por achar e projetar no outro uma possível frustração e o sentimento de vergonha e medo do constrangimento. Este é um dos principais bloqueios.

  1. Achar que sempre tem que acertar

Enquanto as pessoas pensarem que para falar inglês precisam ter o domínio perfeito do idioma, elas nunca vão sair do lugar. Isso de precisar acertar o tempo todo é uma cobrança inútil, que faz até mesmo com que elas percam oportunidades na vida, como chances de um empego ou uma viagem.

  1. Ficar se comparando

Inevitavelmente, as pessoas sempre falarão diferente. Uma pode saber mais e a outra menos, mas isso não deve ser um limitador, um impedimento para a comunicação. Isso deve ser ressignificado e, ao invés de você não se sentir capaz, pode usar essa oportunidade para aprender duas vezes. É preciso entender que não existe o certo e o errado, mas existe a coragem de se expressar e esse é o ponto principal.

  1. Projetar o erro

É comum me dizerem que não falarão alguma coisa porque sabem que seria da maneira errada. Mas, como você sabe que está errado? Se você sabe, como é o certo? E se não sabe o certo, como sabe que está errado? Então, as pessoas não podem achar que errarão antes mesmo de tentar falar.

  1. Se preocupar com a gramática

Você pensar que precisa saber a gramática perfeita para falar o inglês é a maior ilusão. Saber a gramática é apenas uma continuidade do processo, ela vem como consequência. Mesmo a nossa língua nativa, nós primeiro aprendemos a falar e depois a escrever e as regras gramaticais. Esse é apenas um detalhe, que quando não sabemos, podemos pesquisar e aprender, mas não pode nos impedir de falar.

  1. Nivelar o grau de conhecimento

Baseado em que parâmetros dizemos que o inglês de um indivíduo é básico, intermediário ou avançado? Essa “medida” não deveria existir, é apenas um fator comercial, criado pelas escolas de inglês. Você fala fluente baseado na sua capacidade de comunicação.

Nós precisamos entender que somente o erro nos leva ao próximo nível. Por isso, seja cara de pau, permita-se arriscar e faça o inglês parte da sua vida!

 

*Márcio Cafezeiro é diretor pedagógico da IP School – Inglês Particular (www.ipschool.com.br). Autodidata, aprendeu inglês ainda criança, assistindo a filmes e desenhos animados insistentemente. Hoje, possui as certificações Toeic, Toefl e Cambridge, as mais conceituadas do mundo.

 

Sobre a IP School

A IP School é uma rede com 12 escolas na capital paulista e em Guarulhos, Mogi das Cruzes, Jundiaí e São José dos Campos, que nasce com uma proposta bem diferente: os alunos têm aulas particulares, que podem ser ministradas pessoalmente ou online. A metodologia é exclusiva e baseada na Programação Neurolinguística, com método fonético, suporte gradual, mapeamento dos objetivos do aluno, de sua proficiência atual e de seu perfil para o desenvolvimento de um plano de aprendizado. A IP School – Inglês Particular não trabalha com livros e oferece materiais gratuitos aos alunos. Na IP School – Inglês Particular, os trainers (professores) são livres para ensinar de forma personalizada. Conforme o mapeamento das características dos alunos, eles criam as aulas, de forma a respeitar os gostos pessoais, a vivência, as experiências e a individualidade do aluno. Assim, desenha-se o conteúdo e a abordagem. Na metodologia da IP School – Inglês Particular, também não há problema de o aluno receber orientações em Português. Como o conteúdo é 100% personalizado, alunos iniciantes podem receber ensinamentos em Português até estarem prontos para interagir o máximo possível em inglês. A ideia é que se desenvolvam e tenham segurança.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »