28/05/2021 às 12h23min - Atualizada em 28/05/2021 às 18h20min

CLM visa atingir maturidade ESG até 2022

Contratada como conselheira da empresa, a Dra. Carolina Marzano vai supervisionar o aprimoramento das regras de ética e de integridade. O objetivo é atingir a maturidade ESG da CLM

SALA DA NOTÍCIA MakingNews
https://clm.com.br/
Divulgação
A CLM, distribuidor latino-americano de valor agregado com foco em segurança da informação, proteção de dados, infraestrutura para data centers e cloud, contrata a Dra. Carolina Marzano como conselheira, encarregada de supervisionar o processo de melhoria da governança e compliance da empresa.

Segundo Carolina, o objetivo é atingir a maturidade ESG (Ambiente, Social, Governança), aprimorando e sedimentando as normas de ética, integridade e governança, o apoio à ação social, à diversidade e à proteção ambiental. A inciativa integra um conjunto mais amplo de ações, que incluiu a contratação de uma especialista em tributação e de auditoria externa para manter a transparência em todas as suas áreas.

Com uma parcela importante das suas vendas para governos, o fundador da CLM, Francisco Camargo, assinala que era necessário dar continuidade às iniciativas de governança e compliance, que são efetivadas no dia a dia e na cultura da empresa e de seu ecossistema. ‘Em 2003, formamos um comitê externo com revendas, o ‘Conselho Consultivo de Transparência e Parceria’, para apontar melhorias na transparência, visando promover concorrência leal por meio da ética. Isso foi se expandindo ao longo dos anos por meio de outras ações. Atualmente, a CLM faz parte do programa da ABES – Associação Brasileira de Empresas de Software – ‘Uma Empresa Ética’, sendo a segunda empresa a receber o certificado de participação integral no Brasil,” descreve Camargo.

Seguindo o conceito de “tone from the top” ou, em tradução livre “o exemplo vem de cima”, Carolina vai trabalhar diretamente com a alta administração da distribuidora, para não apenas apoiar e fomentar a cultura de ética e de integridade na empresa, mas em todo seu ecossistema. “Quando se fala em regras e programas de compliance, é preciso que elas sejam aplicadas a todos igualmente. A CLM tem que dar o exemplo para todos os seus canais”, comenta Carolina.

Com larga experiência em aperfeiçoamento da governança e ética empresarial, Carolina vai revisar o programa de integridade da CLM, com o objetivo de melhorar sua maturidade ESG.

“Não adianta ter um programa de compliance se ele não for devidamente comunicado e ensinado aos colaboradores, terceirizados, fornecedores e canais. Faremos comunicações periódicas com respeito à lei e à ética. O objetivo é melhorar sempre a cultura de ética e de integridade para que se torne rotina e os colaboradores entendam a relevância da maturidade ESG,” afirma Carolina, que explica que seu trabalho será no sentido de entender o modelo de negócios, atuação, com quais players e analisar os riscos aos quais a CLM está exposta diretamente.

Camargo salienta que este é um grande passo para a CLM no sentido de atingir a maturidade ESG. “A trajetória de compliance começou; isto é um processo. Nosso objetivo é garantir que a CLM não só tenha normas, mas que elas sejam compreendidas pelo todo nosso ecossistema,” aponta.  “Primeiramente, faremos todos os aprimoramentos no Brasil e, estando sedimentado por aqui, vamos expandir para nossas filiais e seus ecossistemas. Primeiramente para a Colômbia e depois para o Peru,” conta.

Sobre Carolina Marzano
Carolina Marzano é advogada formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, pós-graduada pela Escola Superior de Advocacia da OAB/SP em Propriedade Intelectual e Especializada em Compliance e Gestão em Compliance pelo INSPER – Instituto de Ensino e Pesquisa. Atualmente, ela é Compliance Officer e Coordenadora Geral de Comitês e Grupos de Trabalho da ABES - Associação Brasileira das Empresas de Software.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »