01/05/2021 às 22h45min - Atualizada em 01/05/2021 às 22h45min

Quais cuidados a Universal tem tomado na pandemia?

Todos os templos foram equipados e adaptados para receber os fiéis com segurança

AB Notícia News
Folha Universal
Há cerca de um ano, o mundo foi surpreendido com o surgimento da pandemia de Covid-19. A situação trouxe inúmeros questionamentos sobre a doença e quanto às melhores formas de prevenção e tratamento, mas poucas respostas. Nesse contexto, decretos municipais e estaduais fecharam as Igrejas e templos chegaram a ser proibidos de realizar celebrações.
 
Atualmente, as atividades religiosas são consideradas essenciais pelo governo federal e também por parte dos Estados brasileiros. Contudo, apesar de saber da importância da fé nesse momento de crise humanitária, a população viu governantes determinarem mais uma vez o fechamento das igrejas, como aconteceu no Estado de São Paulo. “A celebração e cultos, as liturgias e os rituais de qualquer instituição religiosa são garantidos pela Constituição. Ainda que existam limitações por causa da pandemia, as celebrações religiosas nunca deveriam ter sido proibidas”, afirma o Bispo Eduardo Bravo, responsável pela União Nacional das Igrejas e Pastores Evangélicos (Unigrejas).
 
Importância das igrejas
Muito além da doença física, a pandemia trouxe um cenário de desesperança. O número de casos, de mortes e a crise financeira geraram impactos também na saúde mental das pessoas. Só no Brasil, segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial e divulgada pela BBC News Brasil, cerca de 53% dos brasileiros afirmam que sofreram uma piora em seu bem-estar mental no último ano.
 
Essa situação na prática significa o aumento de pessoas com sintomas de tristeza, ansiedade e depressão. Esses problemas nem sempre são solucionados só com medicamentos e podem ser aliviados por meio da fé. “A Igreja funciona como um hospital espiritual. As pessoas angustiadas, deprimidas, tristes e abatidas e que têm qualquer tipo de problema encontram na Igreja um refúgio. Por isso, as igrejas devem permanecer abertas e com a realização de cultos. A pessoa vai receber uma Palavra de motivação, vai receber a oração da fé e sair dali renovada e fortalecida espiritualmente”, diz o Bispo Eduardo Bravo.
 
Vale ressaltar ainda a importância do trabalho social e humanitário que a Igreja Universal faz para os que mais precisam e que alcança pessoas que muitas vezes são negligenciadas peloPoder Público.
 
Iniciativas da Universal
A Universal entende a importância da prevenção à Covid-19 e tem seguido todas as normas determinadas pelos órgãos da saúde, tanto federais quanto os estaduais e municipais. Todos os templos foram devidamente equipados e adaptados para receber os fiéis com segurança. “Um dos locais mais seguros para a pessoa é dentro da Igreja. Logo que ela chega, é feita a medição da temperatura corporal, o álcool em gel é disponibilizado, é verificado e solicitado o uso obrigatório da máscara e respeitado o distanciamento social. A pessoa fica num local higienizado e pode participar da cerimônia com segurança”, finaliza o Bispo Eduardo Bravo.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »