22/06/2019 às 23h13min - Atualizada em 22/06/2019 às 23h13min

Jornalista acusa Donald Trump de estupro; presidente dos EUA nega e diz que sequer a conhece

Em trecho de livro publicado em revista, ex-colunista da 'Elle' diz que Trump abusou dela em um provador de uma loja há 23 anos.

Ab Noticia News
G1
Loja da Bergdorf Goodman, local onde teria ocorrido o abuso supostamente cometido por Donald Trump nos anos 1990. Ele nega a acusação. — Foto: Stephen Chernin/Arquivo/AP Photo

A jornalista Elizabeth Jean Carroll, ex-colunista da revista "Elle", acusou de estupro o presidente dos Estados UnidosDonald Trump. Em um texto publicado na "New York Magazine" nesta sexta-feira (21), a escritora disse que o magnata a abusou sexualmente em um provador de uma loja há 23 anos.

Trump negou categoricamente a acusação. O presidente afirmou que sequer conhece a ex-colunista da revista americana "Elle".

"Com relação à 'notícia' de Elizabeth Jean Carroll, que afirma que nos encontramos há 23 anos na Bergdorf Goodman: nunca conheci esta pessoa", disse Trump em um comunicado.

 

"Está tentando vender um livro novo, e isso deveria deixar claro qual é sua motivação. Deveria ser vendido na seção de ficção", acrescentou.

 

O trecho publicado na "New York" faz parte de um livro escrito pela jornalista. Nele, Carroll afirma que foi estuprada pelo agora presidente norte-americano há quase 24 anos em um provador de uma das filiais da loja de departamento Bergdorf Goodman, em Nova York.

No texto, Carroll afirma que Trump pediu ajuda para comprar um presente para a esposa e, após discutir opções como uma carteira ou um chapéu, ele se decidiu por uma peça íntima.

Segundo a escritora, os dois subiram para a seção de lingerie, onde não havia qualquer funcionário da loja à vista. Lá, Trump teria imobilizado a mulher e a estuprado.
 

Resposta de Trump

 

 
Donald Trump conversa com repórteres na Casa Branca após ameaças de ataque ao Irã — Foto: Carlos Barria/Reuters

Donald Trump conversa com repórteres na Casa Branca após ameaças de ataque ao Irã — Foto: Carlos Barria/Reuters

Donald Trump conversa com repórteres na Casa Branca após ameaças de ataque ao Irã — Foto: Carlos Barria/Reuters

Donald Trump conversa com repórteres na Casa Branca após ameaças de ataque ao Irã — Foto: Carlos Barria/Reuters

Donald Trump conversa com repórteres na Casa Branca após ameaças de ataque ao Irã — Foto: Carlos Barria/Reuters

"Pergunto à senhora Carroll e à 'New York Magazine': Não há fotos? Não há (câmeras de) monitoramento? Não há vídeo? Não há registro? Não havia nenhum funcionário da loja perto?", questionou.

 

"Gostaria de agradecer à Bergdorf Goodman por ter confirmado que não possui gravação de vídeo desse suposto incidente, porque nunca aconteceu", disse Trump.

 

O presidente também atacou a "New York", que definiu como "publicação em vias de extinção", por "tentar se promover mediante divulgação de notícias falsas". Trump ainda sugeriu a hipótese de o Partido Democrata estar por trás das acusações, sugerindo que seus opositores estão trabalhando com Carroll.

 

"O mundo deveria saber o que está ocorrendo", disse Trump na nota, na qual também pediu que os responsáveis sejam punidos pelas "acusações falsas".

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »