04/04/2021 às 14h37min - Atualizada em 04/04/2021 às 14h37min

Qual o real sentido da Páscoa?

Mais do que presentear com ovos de chocolate e almoçar com a família, a data carrega um significado capaz de mudar vidas

AB Notícia News
Folha Universal
 
NOTÍCIAS | 4 de Abril de 2021 - 00:11
 
0 Comentários
Qual o real sentido da Páscoa?
Mais do que presentear com ovos de chocolate e almoçar com a família, a data carrega um significado capaz de mudar vidas
 
Qual o real sentido da Páscoa?
É comum as pessoas associarem a Páscoa ao almoço com a família e aos ovos de chocolate, mas o real significado da celebração vai além dos aspectos comercial e familiar. A palavra páscoa vem de pessach que, em hebraico, significa passagem. Ela é mencionada na Bíblia em Êxodo, capítulo 12, quando Deus orientou Moisés e Arão para que as famílias separassem um cordeiro macho, com um ano e sem defeito, para que fosse sacrificado. O sangue do animal deveria ser usado nos umbrais das portas para que a casa fosse protegida e os primogênitos não recebessem a visita do anjo da morte.
 
A data continuou sendo lembrada pelos judeus, até que Deus enviou ao mundo o Senhor Jesus, que ao morrer crucificado e ressuscitar no terceiro dia, passou a representar o Cordeiro perfeito, preparado para purificar o mundo com Seu Próprio sangue. Dessa forma, Ele Se tornou a Única Passagem para a Salvação: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3.16).
 
Por ter carregado sobre Si os pecados da Humanidade, o Senhor Jesus Se tornou o Caminho para que todos que nEle cressem recebessem também a chance de desfrutar de uma vida isenta de todo sofrimento, como o apóstolo Pedro registrou em uma de suas cartas aos cristãos: “Levando Ele mesmo em Seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas Suas feridas fostes sarados.” (1 Pedro 2.24).
 
A Páscoa e o ser humano
 
O Bispo Júlio Freitas explica que, assim como o sacrifício do cordeiro e a marca do sangue dele significavam a liberdade do povo de Israel na Páscoa antiga, a marca do sangue do sacrifício de Jesus significa a libertação dos pecados, que é ofertada a todos que a desejam. Mas, para recebê-la, é necessário uma atitude: “quando nós nos arrependemos, confessamos e abandonamos os nossos pecados, nos batizamos nas águas e priorizamos o batismo com o Espírito Santo e a Salvação acima de todas as coisas, recebemos a Sua marca, o Seu perdão e a Sua Salvação.”
 
Essa herança é dada a todos que negam suas vontades, seus sentimentos e tudo o que não agrada a Deus para se transformarem em um testemunho do poder do Altíssimo. Esse é o real sentido desta celebração, como destaca o Bispo Júlio: “a Páscoa para os cristãos é a comemoração da Fé, porque ela remete a como éramos, a como estávamos e a como Deus nos chamou, nos dando a liberdade por meio de Jesus. Agora, Ele quer contar conosco para que possamos alcançar outras pessoas por meio do nosso testemunho de vida, de caráter e de Fé”.
 
Muitas pessoas têm testemunhado o sacrifício de Jesus em suas vidas quando, de fato, O conheceram. Veja os exemplos a seguir.
 
Envolvida na prostituição
 
Um abuso sexual na infância fez Tatiana de Araujo Silva, de 34 anos, olhar para a sexualidade de uma forma diferente. Ainda jovem, ela foi incentivada por amigas a vender seu corpo.

Em busca da realização, Tatiana se envolveu com os vícios em bebida alcoólica, cigarro, maconha, cocaína, lança-perfume, masturbação, pornografia e prostituição. “Eu tinha um trabalho com carteira assinada para que ninguém soubesse minha identidade, mas fazia programas em boate de stripper e em pontos de encontro.”
 
Naquele período, a vida de acompanhante e o dinheiro não combatiam suas frustrações. “Várias pessoas ao meu redor gostavam de mim, me amavam e me incentivavam a crescer, mas, internamente, eu me sentia vazia. Quando saía com um cliente, me sentia suja. Tomava banho e a sujeira não saía do meu corpo porque meu interior estava sujo.”
 
Para Tatiana, a felicidade era um sonho. Com o objetivo de alcançá-la, ela buscou ajuda nas religiões. “Eu fazia oferendas para entidades para que elas me ajudassem a conquistar o que eu queria. Eu até conquistava, mas depois perdia.” E assim Tatiana ficava cada dia mais distante da felicidade. “Eu procurava alegria nas baladas, nas festas e nas amizades. Fazia ‘internação’: eu e várias pessoas nos internávamos em motéis nos finais de semana, passávamos dias e noites usando drogas, nos prostituindo e fazendo tudo de errado. Quando eu voltava para casa, a tristeza voltava também.”
 
O início da sua transformação aconteceu depois de uma overdose. “Em depressão profunda, lembrei de uma palavra que minha mãe, que já era membro da Universal, disse: ‘você só vai ser feliz quando conhecer o Senhor Jesus’”.
 
Ao chegar na Universal, muitos conflitos surgiram na mente dela, mas a Fé anulou suas dúvidas. “Em um domingo pela manhã, eu tive o Encontro com Deus. Ele me mostrou meu passado e me falou que nas diversas vezes que eu quase morri Ele estava me protegendo, que não me julgava pelo que eu era e que me aceitava do jeito que eu estava ali, pois Jesus já havia feito o sacrifício por mim na cruz.”

Alguns meses depois, Tatiana recebeu o Espírito Santo e ocorreu uma completa transformação de vida: “o vazio que eu procurava preencher com os vícios foi preenchido quando o Senhor Jesus me batizou com o Espírito Santo. Hoje tenho paz, tranquilidade, alegria e a certeza da Salvação da minha alma. Sou uma mulher completa e realizada”, finaliza.
 
Ela queria morrer
 
“Se prepare porque ainda vai chegar a notícia que essa menina está morta ou presa.” Essa era a frase que a mãe da empresária Daniela Xavier de Freitas Martiniano, de 27 anos, ouvia frequentemente.

A cada ano, Daniela via sua vida afundar em razão de suas escolhas. “Escondi do meu marido, Denis, durante quatro anos que eu usava drogas. Por meio delas acabei fazendo más amizades, inclusive com pessoas do crime. A criminalidade era o que me sustentava e pagava a minha faculdade. Só que as drogas foram tantas que eu não conseguia mais me concentrar nas aulas. Comecei a perder tudo.”
 
Nessa vida desregrada, Daniela se envolveu com uma pessoa do trabalho e viveu esse relacionamento paralelamente ao seu casamento. “Fiquei muitos anos com esse rapaz, apesar de estar casada, até que engravidei, mas, por medo das consequências, decidi abortar.”
 
O que parecia ser a saída mais “fácil” para resolver o adultério se transformou em um gatilho para a depressão. “O aborto mexeu muito comigo. Me isolei dentro de um quarto e um dia gravei um vídeo me despedindo de todo mundo. Ali fiz a minha primeira tentativa de suicídio: tomei chumbinho. Eu queria morrer, mas, quando vi a morte chegando, quis fugir e, então, pedi socorro aos meus familiares.” Algum tempo depois, Daniela ainda fez mais duas tentativas de suicídio.
 
Nesse cenário de total descontrole emocional, ela e seu marido decidiram se separar. “Deixei de ver minhas duas filhas, me relacionei com um homem que era do crime, o traí e ele me jurou de morte. Outras pessoas também queriam me matar.”
 
Então, uma tia dela a convidou e ao ex-marido para que fossem à Universal. “Ele acreditava nas fake news (notícias falsas) sobre a Universal, mas decidiu ir porque lá era a última porta”, relata Daniela.
Nas primeiras semanas, a mudança de Denis chamou a atenção de Daniela e ela resolveu ir também às reuniões. “Não foi fácil, tivemos que persistir e obedecer a cada palavra. Nos entregamos, nos batizamos e começamos a buscar a Deus.”
NOTÍCIAS | 4 de Abril de 2021 - 00:11
 
0 Comentários
Qual o real sentido da Páscoa?
Mais do que presentear com ovos de chocolate e almoçar com a família, a data carrega um significado capaz de mudar vidas
 
Qual o real sentido da Páscoa?
É comum as pessoas associarem a Páscoa ao almoço com a família e aos ovos de chocolate, mas o real significado da celebração vai além dos aspectos comercial e familiar. A palavra páscoa vem de pessach que, em hebraico, significa passagem. Ela é mencionada na Bíblia em Êxodo, capítulo 12, quando Deus orientou Moisés e Arão para que as famílias separassem um cordeiro macho, com um ano e sem defeito, para que fosse sacrificado. O sangue do animal deveria ser usado nos umbrais das portas para que a casa fosse protegida e os primogênitos não recebessem a visita do anjo da morte.
 
A data continuou sendo lembrada pelos judeus, até que Deus enviou ao mundo o Senhor Jesus, que ao morrer crucificado e ressuscitar no terceiro dia, passou a representar o Cordeiro perfeito, preparado para purificar o mundo com Seu Próprio sangue. Dessa forma, Ele Se tornou a Única Passagem para a Salvação: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3.16).
 
Por ter carregado sobre Si os pecados da Humanidade, o Senhor Jesus Se tornou o Caminho para que todos que nEle cressem recebessem também a chance de desfrutar de uma vida isenta de todo sofrimento, como o apóstolo Pedro registrou em uma de suas cartas aos cristãos: “Levando Ele mesmo em Seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas Suas feridas fostes sarados.” (1 Pedro 2.24).
 
A Páscoa e o ser humano
 
O Bispo Júlio Freitas explica que, assim como o sacrifício do cordeiro e a marca do sangue dele significavam a liberdade do povo de Israel na Páscoa antiga, a marca do sangue do sacrifício de Jesus significa a libertação dos pecados, que é ofertada a todos que a desejam. Mas, para recebê-la, é necessário uma atitude: “quando nós nos arrependemos, confessamos e abandonamos os nossos pecados, nos batizamos nas águas e priorizamos o batismo com o Espírito Santo e a Salvação acima de todas as coisas, recebemos a Sua marca, o Seu perdão e a Sua Salvação.”
 
Essa herança é dada a todos que negam suas vontades, seus sentimentos e tudo o que não agrada a Deus para se transformarem em um testemunho do poder do Altíssimo. Esse é o real sentido desta celebração, como destaca o Bispo Júlio: “a Páscoa para os cristãos é a comemoração da Fé, porque ela remete a como éramos, a como estávamos e a como Deus nos chamou, nos dando a liberdade por meio de Jesus. Agora, Ele quer contar conosco para que possamos alcançar outras pessoas por meio do nosso testemunho de vida, de caráter e de Fé”.
 
Muitas pessoas têm testemunhado o sacrifício de Jesus em suas vidas quando, de fato, O conheceram. Veja os exemplos a seguir.
 
Envolvida na prostituição
 
Um abuso sexual na infância fez Tatiana de Araujo Silva, de 34 anos, olhar para a sexualidade de uma forma diferente. Ainda jovem, ela foi incentivada por amigas a vender seu corpo.
 
Em busca da realização, Tatiana se envolveu com os vícios em bebida alcoólica, cigarro, maconha, cocaína, lança-perfume, masturbação, pornografia e prostituição. “Eu tinha um trabalho com carteira assinada para que ninguém soubesse minha identidade, mas fazia programas em boate de stripper e em pontos de encontro.”
 
Naquele período, a vida de acompanhante e o dinheiro não combatiam suas frustrações. “Várias pessoas ao meu redor gostavam de mim, me amavam e me incentivavam a crescer, mas, internamente, eu me sentia vazia. Quando saía com um cliente, me sentia suja. Tomava banho e a sujeira não saía do meu corpo porque meu interior estava sujo.”
 
Para Tatiana, a felicidade era um sonho. Com o objetivo de alcançá-la, ela buscou ajuda nas religiões. “Eu fazia oferendas para entidades para que elas me ajudassem a conquistar o que eu queria. Eu até conquistava, mas depois perdia.” E assim Tatiana ficava cada dia mais distante da felicidade. “Eu procurava alegria nas baladas, nas festas e nas amizades. Fazia ‘internação’: eu e várias pessoas nos internávamos em motéis nos finais de semana, passávamos dias e noites usando drogas, nos prostituindo e fazendo tudo de errado. Quando eu voltava para casa, a tristeza voltava também.”
 
O início da sua transformação aconteceu depois de uma overdose. “Em depressão profunda, lembrei de uma palavra que minha mãe, que já era membro da Universal, disse: ‘você só vai ser feliz quando conhecer o Senhor Jesus’”.
 
Ao chegar na Universal, muitos conflitos surgiram na mente dela, mas a Fé anulou suas dúvidas. “Em um domingo pela manhã, eu tive o Encontro com Deus. Ele me mostrou meu passado e me falou que nas diversas vezes que eu quase morri Ele estava me protegendo, que não me julgava pelo que eu era e que me aceitava do jeito que eu estava ali, pois Jesus já havia feito o sacrifício por mim na cruz.”
 
Alguns meses depois, Tatiana recebeu o Espírito Santo e ocorreu uma completa transformação de vida: “o vazio que eu procurava preencher com os vícios foi preenchido quando o Senhor Jesus me batizou com o Espírito Santo. Hoje tenho paz, tranquilidade, alegria e a certeza da Salvação da minha alma. Sou uma mulher completa e realizada”, finaliza.
 
Ela queria morrer
 
“Se prepare porque ainda vai chegar a notícia que essa menina está morta ou presa.” Essa era a frase que a mãe da empresária Daniela Xavier de Freitas Martiniano, de 27 anos, ouvia frequentemente.
 
A cada ano, Daniela via sua vida afundar em razão de suas escolhas. “Escondi do meu marido, Denis, durante quatro anos que eu usava drogas. Por meio delas acabei fazendo más amizades, inclusive com pessoas do crime. A criminalidade era o que me sustentava e pagava a minha faculdade. Só que as drogas foram tantas que eu não conseguia mais me concentrar nas aulas. Comecei a perder tudo.”
 
Nessa vida desregrada, Daniela se envolveu com uma pessoa do trabalho e viveu esse relacionamento paralelamente ao seu casamento. “Fiquei muitos anos com esse rapaz, apesar de estar casada, até que engravidei, mas, por medo das consequências, decidi abortar.”
 
O que parecia ser a saída mais “fácil” para resolver o adultério se transformou em um gatilho para a depressão. “O aborto mexeu muito comigo. Me isolei dentro de um quarto e um dia gravei um vídeo me despedindo de todo mundo. Ali fiz a minha primeira tentativa de suicídio: tomei chumbinho. Eu queria morrer, mas, quando vi a morte chegando, quis fugir e, então, pedi socorro aos meus familiares.” Algum tempo depois, Daniela ainda fez mais duas tentativas de suicídio.
 
Nesse cenário de total descontrole emocional, ela e seu marido decidiram se separar. “Deixei de ver minhas duas filhas, me relacionei com um homem que era do crime, o traí e ele me jurou de morte. Outras pessoas também queriam me matar.”
 
Então, uma tia dela a convidou e ao ex-marido para que fossem à Universal. “Ele acreditava nas fake news (notícias falsas) sobre a Universal, mas decidiu ir porque lá era a última porta”, relata Daniela.
Nas primeiras semanas, a mudança de Denis chamou a atenção de Daniela e ela resolveu ir também às reuniões. “Não foi fácil, tivemos que persistir e obedecer a cada palavra. Nos entregamos, nos batizamos e começamos a buscar a Deus.”
 
Quando Daniela entendeu que o sacrifício de Jesus dava a ela o direito de recomeçar, sua mente se abriu: “me perdoei e reconheci que o Senhor Jesus tinha me limpado e me empenhei em conhecê-Lo”, declara.
 
O resultado dessa decisão foi ficar livre das drogas, obter a cura da depressão e a direção para seguir uma vida diferente. “Me desfiz das minhas amizades e de todo o meu passado. Hoje, eu e o Denis temos um casamento abençoado e vejo alegria nas minhas filhas. Tudo mudou completamente”, conclui.
 
Vida no crime

Edmilson Gracino do Nascimento, de 40 anos, cresceu cercado por violência, pelas drogas e pela fome em uma comunidade na zona leste de São Paulo. Ainda jovem, ele entrou para a criminalidade. “Comecei a trabalhar com meus irmãos em uma boca-de-fumo, até que eles foram presos e eu a assumi. Aos 17 anos, eu já transportava drogas e dinheiro e fazia pequenos assaltos. Em um deles cometi o primeiro homicídio. Assim perdi anos da minha vida.”
 
Por causa dessa vida fora da lei, Edmilson não conseguia manter uma relação saudável com as pessoas. Ele tentava ser feliz no amor, mas seu comportamento abusivo sempre levava ao término dos relacionamentos. “Eu era agressivo e explosivo. Cheguei a ter oito registros policiais com base na Lei Maria da Penha.” Em seu último relacionamento, uma traição tirou seu chão: “o fundo do poço para mim foi pegar minha ex-companheira me traindo. Entrei no vício, bebia todos os dias a ponto de cair na rua e não conseguir chegar em casa.”
 
A bebida foi a porta de entrada para outra substância que dominou sua vida: a cocaína. “Eu era tão viciado que a droga corroeu toda a cartilagem do meu nariz. Perdi também parte dos meus dentes.”
Separado, viciado e sem ter para onde ir, Edmilson foi acolhido na casa de sua mãe, que lutava por ele nas reuniões da Universal. “De tanto que ela me convidava, eu aceitei ir à Igreja. Cheguei em uma quinta-feira de 2017, me batizei nas águas no domingo e me firmei”, relata.

Com um passado carregado de transgressões, chegar até o Senhor Jesus foi um pedido de socorro. “Quando a pessoa vive no crime não tem sentimentos por nada nem ninguém. Quando o Espírito Santo me fez ver o que eu tinha feito, me senti como aquele ladrão da cruz que se arrependeu no último instante. O mundo e o crime não me queriam mais e Jesus me deu a última chance.”
 
Edmilson teve seu Encontro com Deus, foi batizado com o Espírito Santo e recebeu a oportunidade de ter uma nova vida. “Me casei, tenho meu apartamento e meu carro, sou motorista de aplicativo e voluntário no grupo Universal nos Presídios. Se eu tivesse um Encontro com Deus antes, teria me poupado de muito sofrimento”, encerra.
 
Questão de Decisão
 
Cada uma dessas histórias mostra a prontidão de Deus em perdoar os erros dos que reconhecem seus pecados e anseiam por uma nova vida. Portanto faça também como essas pessoas: abandone os pecados e se entregue ao Senhor Jesus para que sua vida seja guiada por Ele, conforme está escrito na Palavra de Deus: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça.” (1 João 1.9).
 
ATENÇÃO: Devido às novas restrições estabelecidas no estado de São Paulo, os cultos presenciais ficarão suspensos de 15 a 30 de março. No entanto, as reuniões serão transmitidas pelo Univer Vídeo, pelas redes sociais Facebook, Instagram, YouTube, rádio e pela TV Templo. Fique atento às recomendações e notícias aqui no Universal.org.
 
Clique aqui para saber como proceder nesse período de restrição.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp