20/03/2021 às 19h51min - Atualizada em 20/03/2021 às 19h51min

Secretário de Justiça da Bahia celebra decisão da Justiça Federal em favor dos povos indígenas do estado

Carlos Martins, comentou a determinação da Justiça Federal que suspende os efeitos da Instrução Normativa 09/20 da Funai sobre as terras indígenas.

AB Notícia News
Tribuna da Bahia
Divulgação SJDHDS
“Uma decisão que defende os direitos humanos e a dignidade dos povos indígenas na Bahia. Uma vitória importante nesse processo de luta pela terra, pelo respeito e pela manutenção das tradições. Uma ação importantíssima diante do atual e preocupante cenário nacional de tentativa de desmonte das políticas indigenistas”, assim o secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), Carlos Martins, comentou a determinação da Justiça Federal que suspende os efeitos da Instrução Normativa 09/20 da Fundação Nacional do Índio (Funai) sobre as terras indígenas.
 
Com a determinação, a normativa é anulada e, com isso, suspensas as restrições impostas ao direito originário dos índios às suas terras. “A normativa era um absurdo, uma agressão e um incentivo aos conflitos fundiários, que são muito violentos e danosos aos povos indígenas” disse o secretário.
 
Segundo o gestor da pasta, o processo para demarcação de terras indígenas, de competência federal, “tem andado vagarosamente, em especial na Bahia, onde praticamente não há terras completamente demarcadas pela União. Assim, milhares de índios da Bahia estavam sendo diretamente lesionados em seus direitos pela Instrução Normativa 09/2020”.
 
Com a decisão liminar, proferida pela Justiça Federal da Bahia, determinou-se que a declaração de reconhecimento de um imóvel deve, necessariamente, levar em consideração diversas modalidades de expressão de posse indígena: terras dominiais indígenas plenamente regularizadas, reservas indígenas, terras indígenas em processo de demarcação ou de regularização em distintas etapas do processo, terra indígena declarada e terra indígena com portaria de restrição de uso para localização e proteção de índios isolados.
 
“Esta deliberação expressa não só a sensibilidade do Judiciário e do Ministério Público ao momento pelo qual passam os povos indígenas, como também a própria força das comunidades indígenas, que se organizaram, acionaram os órgãos públicos e conseguiram efetivamente se defender do ataque representado pela Instrução Normativa 09/2020 da FUNAI," concluiu o secretário.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp