21/09/2020 às 23h31min - Atualizada em 21/09/2020 às 23h31min

Moradores de Salvador desrespeitam decreto e ocupam as praias no domingo

Da Barra ao Jardim de Alah, a reportagem da TB encontrou algumas pessoas mais animadas e que resolveram por o pé na areia, já no domingo, quando a ida à praia está proibida

Ab Noticia News
Tribuna da Bahia, Salvador Por: Yuri Abreu
Vagner Souza / BNews

A saudade de voltar a curtir uma praia era tamanha que, um dia antes, por conta própria, alguns moradores de Salvador decidiram ocupar os espaços a beira-mar, desrespeitando, mais uma vez, as medidas determinadas pela Prefeitura de Salvador, que só vão permitir, a partir de hoje, o acesso de banhistas na maior parte dos locais, e de segunda a sexta-feira – apenas as praias do Buracão e da Paciência, no Rio Vermelho, e do Porto da Barra continuarão fechadas neste primeiro momento.

Da Barra ao Jardim de Alah, a reportagem da TB encontrou algumas pessoas mais animadas e que resolveram por o pé na areia, já no domingo, quando a ida à praia está proibida. A situação que mais chamou a atenção foi a da orla de Amaralina, onde havia pessoas até com sombreiro ou tomando banho de sol, mas sem usar o principal equipamento de proteção contra a covid-19: a máscara. Houve até quem levou um cooler para o local, o que também não é permitido, conforme a gestão municipal.

Aliás, foi na região que aconteceu um desentendimento entre uma pessoa, que jogava bola na areia da praia, e agentes da Guarda Civil Municipal (GCM). De acordo com o órgão, homens realizavam a orientação para saída de banhistas que estavam na região da Praia de Amaralina, nas proximidades do Quartel do Exército, quando um homem teria xingado a guarnição.

Quando estava sendo imobilizado, o homem teria oferecido resistência aos agentes, o que gerou a necessidade de uso da força para condução dele à Central de Flagrantes. Durante o ocorrido, um dos homens da GCM sofreu um ferimento no dedo e precisou ser encaminhado a uma unidade de emergência para atendimento. Desde o início da Operação Tira o Pé da Areia até este domingo, 16 pessoas já foram encaminhadas à delegacia, por algum tipo de desrespeito ao decreto municipal que impede o acesso de locais a beira-mar.

Também foram encontradas pessoas tomando banho de mar e deitadas na areia nas praias de Ondina e Farol da Barra, ainda que em menor número, neste último. No Jardim de Alah, foi grande o fluxo de pessoas no calçadão, com algumas sem usar máscaras. Já próximo a água, na mesma região, também foi possível perceber pessoas tomando banho de mar ou fazendo caminhadas na areia, em um cenário de completo desrespeito e falta de consciência coletiva.

FISCALIZAÇÃO

A Guarda Civil Municipal montou um esquema especial de fiscalização que entra em vigor a partir de hoje, quando se inicia a reabertura gradual das praias da cidade. Segundo a Prefeitura, a operação se estende por 50 km de orla, envolvendo 60 agentes, 12 viaturas e seis motos, com intuito de monitorar o cumprimento dos protocolos fixados pela Prefeitura para garantir a segurança sanitária dos banhistas.

Com exceção das praias de São Tomé de Paripe, Tubarão, Ribeira, Itapuã e Amaralina, que reabrem para o público de terça a sexta, e as do Porto da Barra, Buracão e Paciência (as duas últimas no Rio Vermelho), que ainda permanecem fechadas, as demais podem receber normalmente os banhistas sempre de segunda a sexta. Não há restrição de horário, e o uso nos finais de semana e feriados está proibido.

De acordo com a gestão municipal, a estratégia de liberar algumas praias em determinados dias e manter outras fechadas visa impedir aglomerações. Entre as regras do protocolo setorial estão o uso obrigatório de máscara (só pode tirar no momento do banho) e a proibição da utilização de cadeiras, sombreiros, caixas térmicas, instrumentos e equipamentos sonoros, bem como a comercialização de produtos.

O distanciamento social entre os frequentadores deve ser 1,5m. No momento do banho, essa distância deve ser de 2m. A prática de atividades esportivas está liberada de forma individual ou em dupla - as que envolvam mais pessoas ou provoquem contato físico, a exemplo do tradicional “baba”, estão proibidas. Não será permitida nenhum tipo de atividade que gere aglomeração, a exemplo de piqueniques, luaus e eventos.

De acordo com o diretor da Guarda Civil, Maurício Lima, será fundamental que a população contribua respeitando as normas estabelecidas no protocolo. “Nossas equipes estão bem orientadas a atuar para garantir o respeito às regras, mas estamos contando com a consciência da população, pois a doença ainda está aí e não podemos deixar que ela volte a crescer. O apoio da sociedade é imprescindível, pois não temos como fiscalizar todas as praias ao mesmo tempo”, afirmou.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp