04/07/2020 às 16h24min - Atualizada em 04/07/2020 às 16h24min

Comitê do Consórcio NE sugere lockdown em Salvador e mais três cidades baianas

Boletim também aponta riscos de 'efeito bumerangue' com interiorização da doença, onde pacientes podem ser transferidos para capitais que já controlaram o crescimento de casos

Ab Noticia News
Tribuna da Bahia, Salvador
Romildo de Jesus / Tribuna da Bahia

O Comitê Científico do Consórcio Nordeste sugeriu que as prefeituras de Salvador, Feira de Santana, Itabuna e Teixeira de Freitas adotem o lockdown, com suspensão de atividades econômicas e restrição de circulação da população por locais públicos, para conter a propagação da Covid-19.

Na manhã desta sexta-feira (3), os professores Miguel Nicolelis e Sérgio Rezende, que compõem o Comitê Científico, concederam coletiva virtual e explicaram os detalhes de boletim sobre a evolução do coronavírus nos nove estados que compõem a região. Nicolelis afirmou que foi identificado um crescimento no número de casos em Salvador, o que, em conjunto com a taxa de ocupação de leitos de UTI para pacientes com a Covid-19, deixa o alerta vermelho ligado.

“Basicamente estudamos Salvador por mais de um mês, seguindo a curva de infectados e a velocidade da ampliação de casos e de óbitos na cidade, assim como a variação da ocupação dos leitos de UTI. Tivemos várias oscilações, as vezes subia para 86%, descia para 80%, caia mais um pouco. Foi se consolidando em torno de 80% e vimos pela análise contínua que havia uma aceleração de casos e uma dinâmica que mostra que pode aumentar. Fizemos essa recomendação pela primeira vez, essa sugestão para Salvador. Temos crescimento de velocidade no boletim e vimos que Salvador deu uma guinada para cima, a ponto de ter encontrado a curva de Fortaleza, que está em descendente”, afirmou Nicolelis.

“O número de casos de Fortaleza era bem maior, mas graças ao lockdown eficiente, houve desaceleração. Salvador está indo em direção oposta, os casos duplicam, em média, a cada 16 dias. Recife desacelerou muito mais, São Luís ainda mais, está dobrando a cada 22, 23 dias. Vimos que a curva de Salvador está em momento crítico. Por isso o aviso nesse momento”, completou o cientista.

Em entrevista coletiva concedida nesta manhã, o prefeito da capital baiana, ACM Neto, informou que não teve acesso ao estudo do Consórcio Nordeste, mas ponderou que não há motivos para a adoção de um lockdown.

“Não estou sabendo e não estamos nos. Não considero essa recomendação como algo que deva gerar preocupação nessa cidade. As decisões da prefeitura têm sido tomadas por parâmetros científicos e técnicos. Se fizermos abertura antecipada, como eu disse ontem, poderemos explodir o número de casos. Mas o lockdown não depende de uma decisão exclusivamente da prefeitura, a palavra não é minha, a palavra final é do governo do estado. Mas não vejo motivos para lockdown e discordo dessa recomendação", afirmou o prefeito.

Segundo o estudo do Comitê Cientifico, a estratégia adotada pela prefeitura de promover medidas restritivas mais rigorosas em bairros da capital baiana já não surte o efeito esperado para evitar o crescimento de casos de coronavírus. Atualmente, a lista de áreas sob ação da gestão municipal inclui Pau da Lima, Coutos, Fazenda Coutos, Beiru/Tancredo Neves, Cabula, Cabula VI, Resgate, Imbuí, São Cristóvão, Santa Cruz, Pernambués, Saramandaia e Centro.

Comitê Científico do Consórcio Nordeste detalha evolução da Covid-19 nas cidades baianas — Foto: Reprodução / Boletim do Consórcio Nordeste

Comitê Científico do Consórcio Nordeste detalha evolução da Covid-19 nas cidades baianas — Foto: Reprodução / Boletim do Consórcio Nordeste

Comitê Científico do Consórcio Nordeste detalha evolução da Covid-19 nas cidades baianas — Foto: Reprodução / Boletim do Consórcio Nordeste

“Parece evidente que a abordagem de bloqueio seletivo de bairros da cidade, apesar de ter produzido uma desaceleração, não surtiu o efeito desejado de trazer a taxa de crescimento de casos de coronavírus a níveis decrescentes. Dado que a rede hospitalar de Salvador tem uma taxa de ocupação extremamente alta, este comitê julga como recomendável sugerir a instalação de um estado de lockdown na capital do estado da Bahia, nos moldes do que já foi realizado, com bons resultados, nas cidades de São Luís (MA) e Fortaleza (CE)”, pontua o estudo.

Conforme dados do último boletim da Secretaria de Saúde do estado (Sesab), Salvador possui 35.837 casos confirmados de coronavírus, com 1.209 mortes em decorrência da doença.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp