03/06/2024 às 16h35min - Atualizada em 03/06/2024 às 16h35min

RS: corpo ficou duas semanas nas águas podres, diz filha de vítima

José Costa, de 72 anos, morreu afogado na cidade de Canoas

Ab Noticia News
IG

José Marison de Barros Costa, de 72 anos, foi uma das 172 vítimas das enchentes que assolam o estado do Rio Grande do Sul . José morreu afogado na rua onde morava, em Canoas, após sair de casa tardiamente, conforme informações recebidas por sua filha, Daniela Costi.

Com o desaparecimento de José, Daniela solicitou um resgate, que não conseguiu encontrá-lo rapidamente. A família, inicialmente, acreditou que ele estivesse em um abrigo, levando à abertura de um boletim de ocorrência para comunicar o desaparecimento.
 

Duas semanas após o desaparecimento, o corpo de José foi encontrado já em estado de decomposição, o que exigiu que o caixão fosse lacrado.

"Morreu afogado e ficou duas semanas nas águas podres aguardando ser encontrado", desabafou a filha em entrevista ao G1.

José vivia com outro filho, Flávio, que estava abrigado em Eldorado do Sul, onde trabalhava - ele não conseguiu retornar a Canoas por conta das enchentes.

José era aposentado após trabalhar 45 anos como servente de obras, e criou os filhos sozinho após ser abandonado pela esposa. Segundo os filhos, ele era um pai e avô dedicado e amoroso.

Daniela Costi relembrou o pai com carinho: “Ele foi um pai super incrível, um super avô, muito dedicado, muito amoroso, muito responsável”.

Tragédia no RS

Canoas é a terceira cidade mais afetada pelas enchentes no Rio Grande do Sul, com aproximadamente 44% da população atingida. A cidade registra o maior número de mortos confirmados no estado, com 30 óbitos.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Mande sua denuncia, vídeo, foto
Atendimento
Mande sua denuncia, vídeo, foto, pra registrar sua denuncia