29/01/2020 às 14h30min - Atualizada em 30/01/2020 às 18h45min

Soteropolitano diversifica a carteira e inclui outros tipos de meios de pagamento no dia a dia, com destaque para o cartão pré-pago

A Acesso, fintech especializada em meios de pagamento digitais, mostra que o soteropolitano gasta com serviços supermercado, alimentação, entretenimento e combustível

DINO


O mercado de meio de pagamentos cresce e se diversifica em um ritmo acelerado no Brasil, e em Salvador não é diferente. As formas clássicas de pagamento (dinheiro, cheque, cartão de débito e crédito) ganham novos concorrentes com a evolução de diferentes tecnologias. Entre elas, o cartão pré-pago surge como opção democrática, que desburocratiza a relação do usuário com o dinheiro: qualquer pessoa pode abrir uma conta e utiliza-la através do cartão pré-pago em menos de dez minutos, sem comprovação de renda ou análise de crédito.

O hábito do soteropolitano mostra acompanhar a tendência: a Acesso, fintech especializada em meios de pagamento, traz dados que indicam que o tipo de compra feito pelo morador de Belo Horizonte com o pré-pago é, em sua maioria, online: 52% das compras são feitas em sites e serviços digitais, enquanto 48% em lojas físicas.

Os cartões podem ser encontrados na internet, através do e-commerce, ou dos 98 pontos de venda e recarga espalhados por Belo Horizonte. Entre as categorias de gastos no pré-pago mais comuns feitas pelo soteropolitano estão: supermercados (16%), entretenimento (8%), alimentação (24%) e combustível (8%).
O perfil do cliente dos pré-pagos é bastante variado na capital baiana em sua maioria, ele tem entre 41 e 50 anos, contabilizando 22% dos usuários. A faixa etária dos 26 a 35 anos também é representativa, com 25% da base. Além disso, o usuário da cidade gasta, em média, R$110,00 por mês através do principal produto da Acesso.

"A Bahia responde por 36% do PIB do Nordeste e a região metropolitana de Salvador é a mais desenvolvida do estado sendo destaque pela presença de suporte comercial e de serviços. O crescimento na cidade mostra o quanto o cartão pré-pago transformou a experiência como a cidade compra, principalmente por se um produto descomplicado e de fácil uso", explica Davi Holanda, CEO da Acesso, sobre o potencial de crescimento do pré-pago na cidade.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »