24/01/2020 às 12h51min - Atualizada em 24/01/2020 às 15h59min

Agrofloresta: como plantar sem desmatar?

As mudanças climáticas têm despertado a atenção do mundo todo para o aquecimento global. Desse modo, reduzir as emissões de carbono e combater o desmatamento são apenas algumas das estratégias para reverter o quadro. É aí que entra o papel da agrofloresta, um sistema de plantio que respeita a natureza.

DINO
https://www.sitiopema.com.br/


As mudanças climáticas têm despertado a atenção do mundo todo para o aquecimento global. Desse modo, reduzir as emissões de carbono e combater o desmatamento são apenas algumas das estratégias para reverter o quadro. É aí que entra o papel da agrofloresta, um sistema de plantio que respeita a natureza.

Mas seria possível plantar sem desmatar? A agrofloresta, também chamada de Sistemas Agroflorestais (SAF), afirma que sim e combina o cultivo de diversas espécies sobre o mesmo solo. Árvores frutíferas e madeireiras, por exemplo, aparecem lado a lado.

Assim, os recursos naturais da região, como o próprio solo, a luz solar e a água são reaproveitados.

Qual o grande diferencial da agrofloresta?
Diferentemente da monocultura, que ao longo dos anos prejudica o solo, traz desequilíbrios físicos e químicos e contribui para o aparecimento de pragas, a agrofloresta coopera para o aproveitamento do solo. https://www.sitiopema.com.br/sistemas-agroflorestais-safs-o-que-e/

Isso acontece porque, com a integração entre cultivos agrícolas, florestas e até pecuária, uma espécie auxilia a outra e a adubação acontece de forma natural.

Ou seja, quando se poda alguma das árvores, as folhas e os galhos irão espalhar pelo solo nutrientes que servirão como combustíveis para a própria agricultura e para novas culturas. Alguns animais também podem se alimentar de restos das plantações e fornecer esterco ao cultivo.

É por isso que a agrofloresta serve, também para recuperar florestas degradadas.

Papel da agrofloresta na recuperação de áreas desmatadas
Como a agrofloresta se propõe a regenerar a mata de forma natural, as árvores que precisam de mais nutrientes ficam próximas àquelas de crescimento rápido. Com isso, uma fornece nutriente à outra.

Essa mistura de espécies faz com que o uso de agrotóxico seja dispensado, o que já é positivo para o ambiente.

Também não é necessário desmatar áreas preservadas em busco de solo rico em nutrientes, uma vez que o solo das agroflorestas se mantém fértil ao longo dos anos.

Outros pontos benéficos dizem respeito ao aumento da biodiversidade, com as áreas servindo de habitat natural às espécies; e à conservação das bacias hidrográficas, pois não há utilização de produtos químicos.

São esses fatores aliados que auxiliam na recuperação das áreas devastadas. Não é somente a natureza, porém, que sai ganhando. Produtores rurais também.

O agricultor consegue diversificar as espécies plantadas, o que aumenta a renda e a própria produção. Além disso, há redução de custos com a compra de defensivos agrícolas.

Mas como iniciar o plantio agroflorestal?
Conhecimento é a palavra-chave dentro dos Sistemas Agroflorestais. Não é raro, por exemplo, que a desinformação seja responsável pela degradação da fauna e da flora. https://www.sitiopema.com.br/sistemas-agroflorestais-safs-como-comecar/

Na contramão dessa realidade, as técnicas da agrofloresta combinam manejo do solo, estudo e muita observação.

É possível combinar árvores com cultivos agrícolas anuais; árvores com cultivo agrícola e atividades pecuárias; além de trabalhar a agricultura juntamente com espécies que possuem alto valor de mercado, como as espécies de madeireira.

Antes de começar o trabalho, no entanto, o agricultor deve avaliar quais as potencialidades da sua região, levando em consideração o clima, o solo do local e a vegetação.

Cultivar diferentes espécies é o propósito desse sistema. Dessa forma, é preciso verificar quais espécies podem fornecer nutrientes para as demais. No modelo dos pomares agroflorestais, há árvores que irão produzir e outras que irão desempenhar a função ecológica.

Plantio direto, que envolve a rotatividade de culturas e o mínimo revolvimento do solo; a adubação verde; e a poda para obter espaços de luz e sol entre as plantas são algumas das técnicas empregadas.



Website: https://www.sitiopema.com.br/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »