23/01/2020 às 22h43min - Atualizada em 23/01/2020 às 22h43min

Profissionais da saúde participam de encontro para falar sobre a depressão

Reunião especial foi promovida pelo Grupo da Saúde, da Universal. Saiba mais

Ab Noticia News
Folha Universal
Reprodução

Na tarde do último domingo, 22 de setembro, profissionais da saúde participaram de uma reunião com o tema “Depressão tem cura”. Médicos, enfermeiros, psicólogos e demais profissionais da saúde estiveram no segundo andar do Templo de Salomão, em São Paulo. O encontro foi transmitido por videoconferência para todo o Brasil.

Com o intuito de mostrar, por meio de testemunhos, que a depressão tem cura, a reunião contou com aproximadamente mil profissionais da saúde. Além disso, na ocasião, também foram distribuídos exemplares do livro “Eu venci a depressão”, de autoria da médica pediatra Eunice Higuchi. Ela também esteve no dia para autografar os exemplares doados.

O Bispo Eduardo Ribeiro, coordenador das atividades do Grupo da Saúde no Brasil, destacou que falar sobre a doença com médicos é fundamental, a fim de que eles entendam que a depressão é uma doença da alma.

“A ciência ainda não encontrou a cura para a depressão e nós sabemos que esse problema deve ser tratado no campo espiritual. Por não conhecerem o lado espiritual, eles estão procurando encontrar um remédio”, destacou o Bispo Eduardo.

Além disso, milhares de médicos têm sofrido com a depressão diariamente. A pressão das altas cargas de trabalho e plantões têm resultado em profissionais doentes e que precisam de ajuda. A depressão também tem feito com que médicos, com carreiras brilhantes, infelizmente, tirem suas vidas.

De acordo com dados divulgados pelo Conselho Regional de Medicina, a taxa de suicídio entre médicos é 70% mais alta que na população em geral.

“Eles cuidam de muitos, mas esquecem deles. É uma profissão que exige muito. O trabalho vai desgastando emocionalmente. E, infelizmente, muitos ainda possuem uma mentalidade de que não precisam de ajuda”, reiterou o Bispo.

Apoio necessário

A médica ortopedista Priscila Gagliardi, de 38 anos, e seu esposo, o médico geriatra Samuel de Oliveira Guimarães, de 41, contam que a pressão dos problemas os deixa vulneráveis à depressão.

“O médico vive em uma rotina exaustiva, porque além dos nossos problemas, lidamos com o problema dos outros. É uma carga emocional muito intensa. Vivemos em um ambiente que tem a predisposição para a depressão”, diz Priscila.

Além do mais, a intensidade das atividades pode, inclusive, prejudicar a convivência familiar. “É difícil conseguir se desligar do trabalho. Quando você vai para casa, não tem jeito, você leva os problemas”, ressalta Samuel.

Para eles, o apoio do Grupo da Saúde é fundamental no auxílio ao profissional. “É importante dar um suporte para os profissionais da saúde, porque, muitas vezes, é difícil para ele reconhecer que precisa de ajuda. Aqui é um caminho para encontrar ajuda”, ponderou Priscila.

O Grupo da Saúde

Atuando em todo território nacional e agora expandindo para o exterior, o Grupo da Saúde se dedica a ajudar profissionais da saúde, seus familiares e estende suas atividades para pacientes em hospitais.

“Viemos para ajudar. Já são tão poucos e eles que salvam vidas, ou seja, são pessoas importantes para a nossa sociedade”, disse o Bispo Eduardo Ribeiro.

Se você deseja fazer parte dos encontros ou até mesmo se tornar um voluntário, procure a Universal mais próxima de você. Acompanhe, também, o trabalho do grupo por meio das redes sociais, clicando aqui.


 
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »