22/11/2019 às 13h39min - Atualizada em 22/11/2019 às 17h26min

Diretrizes do governo para regular a Inteligência Artificial

Nos próximos anos, a tendência é o crescimento vertiginoso de softwares com Inteligência Artificial, incorporando qualquer tipo de função da área da indústria, serviços e do governo.

DINO
https://www.olitel.com.br/


Denominamos Inteligência Artificial o conjunto de softwares baseados em ferramentas estatísticas e algoritmos com poderes para tomar decisões, identificar padrões pré-estabelecidos e realizar procedimentos diversos.

Estes softwares já estão presentes em nosso dia a dia nas mais variadas áreas e ganham força e amplitude ao ponto de se tornarem praticamente indispensáveis.

Nos próximos anos, a tendência é o crescimento vertiginoso deles, incorporando qualquer tipo de função da área da indústria, serviços e do governo.

Percebendo todo este cenário e seus impactos a curto, médio e longo prazo, o governo lançou um estudo intitulado Estratégia-Digital, ou simplesmente, E-digital no ano de 2018.

Qual é a visão do e-digital sobre a Inteligência Artificial

Todas as práticas e estudos do E-Digital estão baseadas em dois eixos principais:

Os eixos para transformação digital;
Os eixos de habilitação ou simplesmente habilitadores;
Tudo se inicia nos eixos de habilitação que criam um ambiente propício baseado em uma série de iniciativas e ações, garantindo a execução das práticas por meio do eixo de transformação digital.

No total, estão sendo planejadas mais de 100 ações em vários setores da indústria, infraestrutura e comércio.
Para a área da Inteligência Artificial, o E-Digital aponta dois aspectos essenciais:

Incentivar e impulsionar a pesquisa e desenvolvimento dos setores que envolvem, principalmente as áreas da automação, robótica, Big Data e Inteligência Artificial;
Estimular constantemente a formação de profissionais dos setores de tecnologias envolvidos nessas áreas, a fim de capacitá-los para operar com esses novos meios e aplicá-los em todos os níveis da sociedade brasileira.

E, para que isto ocorra, torna-se fundamental a sociedade e o governo adotarem algumas estratégias:
Promoção e aprovação de incentivos a políticas públicas de implementação de centros de dados e diagnósticos em todo território nacional;

Avaliação e fiscalização dos impactos, tanto negativos como positivos na adoção desta tecnologia, mitigando possíveis efeitos nocivos em nossa sociedade. Aliás, esta prática de monitoramento deve ser constante;

A indústria também deve ser envolvida

O E-Digital quer, não só mapear o caminho, como também as ações e infraestruturas necessárias para implementação definitiva da Inteligência Artificial. Porém, a indústria deve estar envolvida no processo.

Estabelecer diretrizes para implementação da manufatura 4.0 em todos os setores da cadeia produtiva permitirá o uso desta tecnologia e sua implementação definitivos.

Para enfatizar a importância da adoção deste novo campo, o próprio Ministro da Ciência e Tecnologia pontuou em uma recente entrevista:

"[...] Essa tecnologia [inteligência artificial], combinada com a internet das coisas e a quinta geração de internet móvel que está chegando ao Brasil, mudará a vida das pessoas".

Toda esta sinergia de setores e alavancagem em tecnologias seguem os mesmos objetivos da Olitel Brasil S/A . Suprir as necessidades dos clientes, inovar em soluções com técnicos capacitados, envolvidos na pesquisa e desenvolvimento das mais variadas soluções estão em linha com as diretrizes estipuladas pelo E-Digital.



Website: https://www.olitel.com.br/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »