22/11/2019 às 16h17min - Atualizada em 22/11/2019 às 17h03min

Abrasel RMC estima crescimento de 35% no movimento de bares e restaurantes da região de Campinas com festas de final de ano

Casas como Vila Paraíso e Dom Brejas já registram alta desde o início de novembro e contratam para atender a demanda

DINO


As festas de final de ano - eventos corporativos e confraternizações - devem dar um grande impulso para os restaurantes e bares da região de Campinas nos dois últimos meses do ano. Levantamento da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes da Região Metropolitana de Campinas (Abrasel RMC) junto a cerca de 300 estabelecimentos associados aponta para uma alta de 35% no movimento na comparação com os meses normais. O crescimento esperado para 2019 é maior em relação ao mesmo período do ano passado.

Os reflexos da estabilidade e recuperação gradual da economia neste ano, ao contrário de 2018, já começam a ser sentidos pelos restaurantes e bares que trabalham com eventos. A movimentação por reservas nos estabelecimentos, tanto por parte de empresas (corporativos) como de grupos, começou em outubro e deve se intensificar em novembro e dezembro. Para atender a demanda, os estabelecimentos também investiram em contratações.

No Restaurante Vila Paraíso, no distrito de Joaquim Egídio, a estimativa é de um incremento de 50% no fluxo de pessoas nos meses de novembro e dezembro em relação aos demais meses e de 15% sobre o mesmo período do ano passado.

Para este ano, o restaurante vai trabalhar com mais de sete tipos de pacotes para grupos, como almoço, noite da paella, happy hour, café da manhã, além de eventos corporativos, e particulares, com cardápios como café da manhã e Paella. "Além dos dias de abertura normais, de segunda a quarta vamos abrir o restaurante com exclusividade para as empresas realizarem suas festas", adianta Fernanda Barreira, Gerente de Marketing.

Segundo Fernanda, ao contrário dos últimos três anos, quando houve uma queda significativa tanto de empresas como de grupos, neste ano o movimento já dá sinais de recuperação. "Desde o início de outubro estamos recebendo pedidos de orçamentos e fechando contratos para empresas, além de reservas para grupos de pessoas", conta.

Para atender a demanda extra, o Restaurante Vila Paraíso ampliou seu quadro de funcionários, com oito contratações temporárias.

Por sua vez, o Dom Brejas Brew Pub, trabalha com uma expectativa de crescimento na ordem de 30% no faturamento, comparado ao mesmo período de 2018. Segundo o proprietário Dino Ramos, este volume corresponde à soma do bar e da distribuidora de chopp Burgman, que atende toda a região.

"Já percebemos um aumento bom tanto no bar como nos pedidos de reservas de chopp para festas e eventos em empresas", conta. Ramos explica que neste ano, o que está se observando até o momento, é uma redução de festas grandes em empresas. "Mas, por outro lado, sentimos um crescimento de pedidos para festas de grupos menores em empresas", explica.

Ramos conta, ainda que foram contratados dois funcionários para este período, com a possibilidade de serem efetivados no início do ano,

EXPECTATIVAS MELHORES
Para Matheus Mason, presidente da Abrasel RMC, as expectativas são muito melhores aos últimos quatro anos, quando o País esteve mergulhado na crise e o cliente evitou gastos com festas fora de casa, restringindo até as tradicionais confraternizações. "Na média, os empresários estimam um aumento de 35% na movimentação e faturamento neste ano sobre o ano passado. Em termos de aumento real, isso significa um crescimento de cinco pontos percentuais sobre os 30% do ano passado".

De acordo com Mason, existem casos em que o aumento previsto deve ser superado. "Em alguns estabelecimentos o crescimento de público e faturamento nesta época chega a 100%", conta.

O setor de alimentação fora do lar é um dos mais importantes para a economia. Somente na Região Metropolitana de Campinas este segmento conta com cerca de 12 mil estabelecimentos em funcionamento. Ele é um dos maiores geradoras de empregos, com mais de 60 mil postos de trabalhos diretos - e outros milhares de indiretos -, número expressivo e importante para a economia regional, que a exemplo do País, passa por um momento de crise de desemprego.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »