MENU

15/11/2019 às 10h01min - Atualizada em 15/11/2019 às 10h01min

Pela primeira vez, negros são maioria nas universidades públicas do Brasil

Ab Noticia News
Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações do jornal O Globo
Ricardo Stuckert

É fato que os governos do PT valorizavam a educação e investiam em ações concretas para que todos tivessem acesso à educação pública de qualidade. Agora, mais um fruto dessas medidas aparece para lembrar da necessidade de continuar a luta e não deixar que o desgoverno de Jair Bolsonaro (PSL) acabe com o que foi construído até aqui. Pela primeira vez no Brasil, dados do IBGE mostraram que os negros são maioria nas universidades públicas.

De acordo com a pesquisa Pnad Contínua, divulgada nesta quarta-feira (13), os estudantes autodeclarados pretos e pardos corresponderam a 50,3% dos mais de 2,19 milhões de brasileiros matriculados em 2018. Os brancos ocupavam 48,2%. É a primeira vez que negros ocupam mais da metade das vagas nas universidades públicas. Tal avanço é resultado da implementação de políticas públicas como o sistema de cotas iniciado nos governos do PT.

A Lei n° 12.711 de 29 de agosto de 2012, conhecida como a Lei de Cotas, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff, reservou 50% das vagas em todos os cursos nas instituições federais de ensino superior levando em conta critérios sociorraciais. Entre 2013 e 2015, a política afirmativa de reserva de cotas já havia garantido a entrada de mais de 150 mil estudantes negros em instituições de ensino superior em todo o País. Com os anos, esse número foi aumentando.

Mais de 1,14 milhão de estudantes autodeclarados pretos e pardos ocuparam vagas em instituições públicas de ensino superior em 2018

Segundo reportagem do O Globo, de acordo com o IBGE, nas universidades privadas também houve aumento da presença de negros, em função de programas como Fies e Prouni, também criados durante os governos petistas. Em 2016, 43,2% das vagas nessas instituições eram ocupadas por pretos e pardos. Já em 2018, esse número passou para 46,6%.

Expansão das universidades públicas

 

Os governos Lula e Dilma melhoraram a educação superior no Brasil. Além de direcionarem mais recursos e garantirem que o acesso à educação fosse estendido a quem antes era excluído, houve também a criação e expansão das universidades federais.

As universidades públicas e institutos federais, antes basicamente centralizados nas capitais dos estados, foram levados para todo o interior do país. Foram criadas 18 novas universidades federais e 173 campus universitários, praticamente duplicando o número de alunos entre 2003 a 2014: de 505 mil para 932 mil. Os institutos federais também tiveram uma grande expansão durante os governos do PT: foram implantados mais de 360 unidades por todo o país.

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações do jornal O Globo

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp