30/09/2022 às 13h16min - Atualizada em 30/09/2022 às 20h02min

Transição de carreira: 5 passos para mudar de profissão de forma assertiva e segura

Prática tornou-se mais recorrente após a pandemia de Covid-19; profissionais buscam mais qualidade de vida e melhores oportunidades de emprego

SALA DA NOTÍCIA Kenzie Academy Brasil
https://kenzie.com.br/
Imagem de pressfoto no Freepik


Segundo uma pesquisa feita pela consultoria de Recursos Humanos EDC Group, divulgada em maio deste ano, com profissionais brasileiros de diferentes áreas do mercado de trabalho, 53% dos trabalhadores pensam em fazer a transição de carreira. De acordo com o levantamento, o motivo que norteia esse desejo é a “perda de interesse pela atividade desempenhada”. Dentre as respostas mais recorrentes que justificam a vontade de mudança, estão: a falta de oportunidades satisfatórias na área atual, maior preocupação com a qualidade de vida, além de jornadas de trabalho mais flexíveis. 

Impulsionada pela pandemia de Covid-19, a transição de carreira pode ser uma alternativa para quem deseja novas oportunidades e, apesar da crise, o setor de tecnologia oferece grandes oportunidades com horários flexíveis, boa remuneração e possibilidade de trabalhar para empresas de outros países sem precisar sair de casa. Por isso, cursos de tecnologia, com foco no aprendizado de programação tem se tornado uma ótima alternativa para quem deseja passar por esse processo de transição de carreira. 

Na edtech Kenzie Academy Brasil, escola de programação com o objetivo de ofertar ensino de qualidade para quem deseja trabalhar na área da tecnologia, cerca de 39% dos alunos entram com o objetivo de ter uma nova oportunidade em uma área diferente da sua formação, buscando oportunidades como programadores. 

Embora esse processo seja desafiador, é possível fazê-lo de maneira segura e assertiva, por meio de um bom planejamento, que contemple cada fase da mudança. Para estruturar um plano prático para a transição de carreira, a Kenzie Academy Brasil, lista cinco dicas:

 

1. Faça uma análise do momento profissional atual e do momento futuro desejado

Essa análise é indispensável para que o profissional entenda suas motivações para o desejo de mudar de profissão e procure por uma opção que esteja mais alinhada às suas necessidades de satisfação profissional e pessoal. Uma vez que o diagnóstico é feito, torna-se possível entender quais caminhos fazem sentido seguir, como percorrê-los e onde se quer chegar.

2- Prepare-se financeiramente e construa uma rede de apoio

Após decidir mudar de profissão, é recomendável criar uma reserva financeira. O valor pode ser usado em casos de emergência, auxílio com as despesas do novo padrão de vida - que inicialmente pode ser inferior à renda do emprego no ramo anterior - e, até mesmo, em investimentos profissionais, como cursos e mentorias. Não existe uma quantia específica e nem um período pré-determinado de quanto tempo essa reserva deve existir, mas o recomendado é criá-la para que sirva de três a seis meses. Então, planeje suas finanças para evitar passar por grandes problemas durante esse período. Outro passo importante é construir uma rede de apoio para tornar esse período mais leve e seguro.

3- Identifique e estude a nova profissão e o mercado de trabalho

Com a nova profissão em mente, é hora de entender como ela funciona, assim como é o mercado em que ela está inserida. Algumas perguntas que podem nortear esses estudos são: Existem oportunidades atualmente? Qual a perspectiva de vagas para o futuro? A nova área atende aos seus ideais de satisfação profissional e pessoal? Quais os impactos dessa profissão na sua qualidade de vida? Está disposto a abrir mão de algo? 

Frequentar eventos, participar de palestras, fazer cursos introdutórios e conversar com pessoas que já estão na área também são boas oportunidades de conhecer melhor a nova área.
 

4- Mapeie as vantagens e desvantagens

Depois de conhecer melhor a nova profissão de interesse, avalie suas vantagens e desvantagens. Faça um esquema visual com as suas vontades, interesses e ideais de satisfação e anote as vantagens e desvantagens. Assim, é possível avaliar se a nova área combina com as suas demandas, permitindo uma escolha mais consciente e racional.

 

5- Estruture um plano de ação prático flexível 

Depois de concluir todas as etapas citadas acima, o próximo passo é criar um plano de ação prático, que norteie a jornada pela colocação profissional no novo mercado. É necessário estabelecer um cronograma com as ações e seus respectivos prazos de realização, sejam eles mais longos ou mais curtos. 

Para isso, tenha em mente perguntas como: qual cargo eu gostaria de ocupar? Quais as competências preciso ter para conquistá-lo? Qual tipo de aperfeiçoamento é necessário para esse cargo? Realizar pequenos trabalhos e projetos é viável para a construção de experiência prática na área? 

Com o cronograma produzido, é só seguir os passos e adaptá-los à realidade e possíveis imprevistos.
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Ab Noticias  News Publicidade 1200x90
Mande sua denuncia, vídeo, foto
Atendimento
Mande sua denuncia, vídeo, foto, pra registrar sua denuncia