30/07/2018 às 15h40min - Atualizada em 30/07/2018 às 15h40min

Medidas práticas para se proteger das hepatites virais

Evelin Azevedo

Agência O Globo -
Agência O Globo -

Neste sábado é comemorado o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais. Existem cinco tipos diferentes da doença, que provoca inflamação no fígado: A, B, C, D e E. As três primeiras são as mais comuns no país. Nos últimos anos, os casos confirmados caíram no Brasil — de 47.901, em 2013, para 33.832 no ano passado.

— Mais pessoas estão sendo tratadas eficazmente (no caso das hepatites B e C), o que reduz o contingente infectante da doença. Há também a disponibilização de vacinas contra hepatite A e B e a melhoria do saneamento — comenta Claudio Gonsalez, infectologista do Hospital Santa Paula.

A gravidade e a maneira de transmissão das hepatites são diferentes. As A e E são propagadas por meio de água e alimentos higienizados inadequadamente, contaminados por fezes humanas de indivíduos infectados. Já as hepatites B, C e D são de transmissão por meio de sangue e secreções (relações sexuais, transfusão de sangue e compartilhamento de utensílios de uso pessoal, tais como lâmina de barbear, alicates de cutícula, agulhas) e de mãe para filho, durante gestação ou amamentação.

A doença pode ser assintomática. Mas, alguns pacientes podem apresentar sintomas na fase inicial da doença: febre, vômitos, diarreia, dor abdominal, urina escura, fezes esbranquiçadas e mesmo olhos e pele amarelados.

— O diagnóstico é feito por meio de exames de sangue. O laudo pode identificar cada vírus especificamente por meio dos anticorpos produzidos pelo organismo para combater a hepatite — explica Alberto Chebabo, infectologista do Lâmina Medicina Diagnostica.

Hepatite tem cura, mas o sucesso do tratamento depende do estágio em que a doença é diagnosticada.

— Nas formas mais leves, como acontece na maioria das vezes com as hepatites A e B, a cura vem de forma espontânea. Já nos casos do tipo C, cuja doença pode ser crônica, já existem medicamentos capazes de curar grande parte dos casos — diz Helio Torres Filho, membro da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e diretor médico do Richet Medicina & Diagnóstico..


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »