30/07/2018 às 15h40min - Atualizada em 30/07/2018 às 15h40min

Robert Scheidt será técnico de Jorge Zarif no Mundial de Classes Olímpicas de vela

Extra

Agência O Globo -
Agência O Globo -

Dono de cinco medalhas olímpicas, entre elas dois ouros, Robert Scheidt será treinador pela primeira vez no Mundial de Classes Olímpicas, que começa nesta semana, na Dinamarca. O atleta será técnico do velejador Jorge Zarif, na classe Finn. Os dois já trabalharam em alguns treinamentos antes de chegarem ao país europeu. As provas começam na próxima quinta-feira, dia 2.

– Espero ser um facilitador desse processo, mais uma pessoa com experiência para ajudar o Jorge. Estou muito animado com essa primeira experiência como técnico em uma competição oficial e ainda por cima desse nível. Espero contribuir – disse Robert Scheidt.

Jorge Zarif vem de ótimos resultados na temporada 2018. Conquistou a medalha de ouro em duas competições na França — a etapa de Hyères da Copa do Mundo e a final da Copa do Mundo, em Marselha. O brasileiro elogiou seu treinador multicampeão.

– No primeiro dia de treino que fizemos, ele já tinha visto todas as regatas da medalha dos últimos dois anos da classe Finn e observado pontos em que eu poderia evoluir. O Robert técnico é igual ao Robert velejador e provavelmente igual ao Robert em qualquer profissão ou área da vida: extremamente dedicado, estudioso e meticuloso – disse Zarif.

Robert é um dos maiores vencedores da história da vela, com 11 títulos mundiais na classe Laser (incluindo um de Vela Jovem), três na Star, duas medalhas olímpicas de ouro (Atlanta-1996 e Atenas-2004, na Laser), duas de prata (Sydney-2000, na Laser; e Pequim-2008, na Star) e uma de bronze (Londres-2012, na Star).

O Mundial de Classes Olímpicas tem uma importância adicional: estarão em jogo as primeiras vagas para os países nos Jogos Olímpicos de Tóquio, sendo oito na classe Finn. Ao todo, o Brasil será representado por 24 velejadores na competição.

– Durante o campeonato, minha função ficará mais focada em identificar as condições da raia. Agora teremos mais dois olhos tentando identificar as condições de cada percurso, as características de cada um. Com isso, espero conseguir que o Jorge tenha um Mundial consistente. Vou sempre tentar fazer análises de risco e retorno para cada estratégia de regata e, assim, construir uma média dia a dia – diz Robert.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »