08/05/2018 às 17h24min - Atualizada em 08/05/2018 às 17h24min

Parte de casa desaba na BA 6 meses após reforma e jovem escapa com filho de 2 anos: 'Vi a hora de morrerem', diz avó

Filha e neto da proprietária do imóvel tinham acabado de sair do local quando encosta deslizou, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador. Outras oito casas ao redor foram interditadas após o incidente.

G1
Parte de casa desabou após encosta ceder no Rio Vermelho, em Salvador (Foto: Ana Valéria/TV Bahia)

arte de uma casa desabou e caiu na beira do mar no bairro do Rio Vermelho, em Salvador, após uma encosta ceder, na noite da segunda-feira (7), segundo informações da Defesa Civil da capital baiana (Codesal). Ninguém ficou ferido.

O desabamento ocorreu por volta das 20h, na Rua Alto da Sereia. No momento do incidente, os moradores do imóvel estavam em uma outra casa, no andar de cima. O imóvel da parte superior não desabou junto com o outro, mas ficou com a estrutura abalada.

Em entrevista ao G1, a dona do imóvel que desabou, a empregada doméstica Iracema Lima, de 44 anos, contou que a filha dela, de 19 anos, e o neto, uma criança de 2 anos, tinham acabado de sair da casa quando a encosta cedeu.

"Minha filha desceu para atender o telefone e meu neto foi atrás dela. Assim que ela subiu de volta, a gente ouviu os primeiros estouros. Foram três. Pareciam trovoadas. Eu vi a hora de minha filha e meu neto morrerem. Foi por um triz", contou Iracema.

 
Escombros cairam na beira do mar (Foto: Ana Valéria/TV Bahia)

Escombros cairam na beira do mar (Foto: Ana Valéria/TV Bahia)

Escombros cairam na beira do mar (Foto: Ana Valéria/TV Bahia)

Escombros cairam na beira do mar (Foto: Ana Valéria/TV Bahia)

Escombros cairam na beira do mar (Foto: Ana Valéria/TV Bahia)

A casa onde a família estava pertence à mãe de Iracema. De acordo com a empregada doméstica, após ouvir o som forte vindo do imóvel de baixo, ela, a filha, o neto e outros familiares desceram da casa da mãe dela correndo e foram para a rua.

Depois do deslizamento da encosta, apenas dois quartos e a cozinha da casa de Iracema ficaram de pé. Conforme a empregada doméstica, o imóvel tinha passado por uma reforma há cerca de seis meses, justamente para evitar o desabamento.

"Eu fiquei morando de aluguel por quase 2 anos, porque minha casa tinha sido notificada antes. Só que eu consegui juntar um dinheiro e paguei para o rapaz arrumar. Ele amarrou as colunas e reforçou a estrutura, mas não teve jeito. A gente trabalha para construir e acaba assim", explicou Iracema.

Por conta do desabamento, outros oito imóveis que ficam ao redor da casa da empregada doméstica foram interditados, incluindo a casa da mãe dela. Dois deles ainda foram notificadas por obras indevidas, segundo a Codesal.

A família de Iracema e os vizinhos foram morar na casa de parentes, temporariamente. Segundo a empregada doméstica, ela foi cadastrada pela prefeitura e vai receber auxílio para aluguel. Os outros desabrigados também receberão o benefício, informou a Codesal.

Ainda conforme a Defesa Civil, os imóveis interditados passarão por uma avaliação técnica. Alguns deles devem ser demolidos por risco de desabamento. No entanto, somente o estudo vai precisar quais e quantos serão.

 
Apenas dois quartos e a cozinha do imóvel ficaram de pé (Foto: Ana Valéria/TV Bahia)

Apenas dois quartos e a cozinha do imóvel ficaram de pé (Foto: Ana Valéria/TV Bahia)

Apenas dois quartos e a cozinha do imóvel ficaram de pé (Foto: Ana Valéria/TV Bahia)

Apenas dois quartos e a cozinha do imóvel ficaram de pé (Foto: Ana Valéria/TV Bahia)

Apenas dois quartos e a cozinha do imóvel ficaram de pé (Foto: Ana Valéria/TV Bahia)

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »