25/07/2022 às 11h19min - Atualizada em 25/07/2022 às 11h12min

Hormônios liberados durante o sexo

Lucas Widmar Pelisari

Lucas Widmar Pelisari

Músico, escritor, formado em investigação forense e perícia criminal

AB Notícia News

Transar é um processo vital para a manutenção da saúde física e emocional. Além de ser um mecanismo importante, embora não o único, para a construção e o fortalecimento da intimidade com alguém, o sexo é importante para renovar o corpo, sendo capaz de provocar sensações bastante prazerosas.

 

Tais sensações se originam a partir de movimentos em áreas consideradas erógenas no corpo (que não se limitam à região genital), favorecendo a produção de diversos hormônios. Antes de comprar uma boa calcinha respirável para manter a saúde da região genital, confira quais são os principais hormônios liberados durante o sexo pelo corpo das mulheres!

 

Adrenalina e dopamina

Após uma boa transa, você não sai com a sensação de um cansaço bom? A fisiologia ajuda a explicar o porquê desta sensação: a atividade sexual promove a liberação de adrenalina, hormônio responsável pelo aumento da frequência cardíaca, da pressão arterial e da rigidez muscular.

 

A liberação da adrenalina ocorre principalmente durante o orgasmo (considerado o momento de maior prazer durante o sexo, podendo ou não ser acompanhado por ejaculação). Após a  liberação da adrenalina durante o orgasmo, ocorre a normalização das mudanças ocorridas no corpo. É a partir desse momento que você sente aquele cansaço relaxante.

 

Outro hormônio importante durante o sexo é a dopamina, que é liberada durante todo o processo de atração e também no sexo.

 

Ocitocina e endorfina 

Outro hormônio que é liberado logo após o orgasmo é a endorfina (responsável por gerar aquela sensação de prazer e bem-estar). Além dela, o organismo também libera a ocitocina, produzida pelo hipotálamo e liberada pela neuro-hipófise pela corrente sanguínea, sendo responsável por diminuir o estresse.

 

Esse hormônio também é produzido após a prática de atividades físicas de forma geral, provocando aquela sensação de alívio e até certa anestesia. Essa sensação é conhecida por quem pratica esportes regularmente, pois, ao sair do treino, o cansaço físico coexiste com uma sensação de bem-estar e alívio.

 

A ocitocina também promove as contrações uterinas em mulheres durante o orgasmo. Vale lembrar que, ao sentir tesão, as pessoas ficam com os músculos minimamente tensionados. A liberação desses dois hormônios é fundamental para fazê-los relaxar.

 

Prolactina e estrogênio 

Outro hormônio que inunda o corpo durante o sexo é a prolactina. Essa substância suprime a dopamina (que faz você se sentir acordado). Na prática, a prolactina te deixa pronto para dormir.

 

Vale lembrar que ir para um ambiente pouco iluminado logo após a transa ajuda o organismo a liberar melatonina. Esse hormônio é produzido pela glândula pineal e é essencial para provocar a sonolência que prepara o corpo para dormir.

 

Durante o processo de excitação, a mulher libera muito estrogênio, hormônio que prepara o corpo para o ato sexual, dilatando a região genital e acelerando os batimentos cardíacos.

 

Importância física do sexo

Manter uma vida sexual saudável oferece diversos benefícios. Um deles é a melhora significativa do sistema imunológico (sistema de defesa do corpo). Além disso, uma vida sexual ativa também alivia as tensões e melhora a circulação, já que se trata de uma atividade física. 

 

Esse aumento do fluxo sanguíneo provê à pele, o maior órgão do corpo humano, nutrientes importantes necessários. Por isso, existe a comprovação científica da frase: sexo faz bem pra pele!

 
Link
Tags »
Leia Também »
Comentários »